Observatório das Campanhas: semana teve candidato 'capeta', gafe em MG e crítica ao voto útil

16 set 2022 - 18h47
Compartilhar

Confira no “Observatório das Campanhas” desta semana: o ex-presidente Lula (PT) recebeu o apoio de Marina Silva, ex-ministra do Meio Ambiente durante seu governo e de quem estava afastada desde a campanha presidencial de 2014. Durante comício nesta quinta, Lula cometeu uma gafe com um aliado: o petista trocou o estado em que Alexandre Kalil tenta ser governador. O ex-presidente citou o Rio de Janeiro, ao invés de Minas Gerais. Os ministros do TSE decidiram por unanimidade que seja mantida a proibição do uso de imagens do 7 de setembro pela campanha do presidente Jair Bolsonaro, do PL, à reeleição. A Corte entendeu que em Brasília e no Rio de Janeiro, onde o candidato participou, os festejos cívicos e militares foram misturados com ações de campanha. Na semana em que aparece com 12 a 15 pontos de distância do ex-presidente Lula, que lidera as pesquisas Ipec e Datafolha, Bolsonaro se referiu ao petista como "capeta que quer impor o comunismo no Brasil", durante discurso em Sorocaba. O candidato do PDT, Ciro Gomes, reagiu contra um possível voto 'útil' em Lula. O ex-ministro acusou o PT de fazer “terrorismo e fascismo de esquerda”, ao pregar que a eleição seja encerrada em primeiro turno. Mas o discurso que iguala Bolsonaro e Lula tem provocado racha interno no PDT. Aliados históricos de Leonel Brizola devem fazer ato no próximo dia 21 para 'desautorizar' Ciro e apoiar Lula no primeiro turno, pregando o voto 'consciente' no petista. Simone Tebet (MDB) criticou a estratégia de Lula em busca do voto útil. A senadora afirmou que é um "desrespeito" a estratégia utilizada pelo ex-presidente para tentar vencer as eleições presidenciais no 1º turno.

Fonte: Redação Terra
Publicidade
Publicidade