PUBLICIDADE

Políticos citam ‘empenho’ de Doria por vacina e ‘enfraquecimento’ da terceira via; veja repercussão

Nas redes sociais, aliados e adversários do tucano reagem à saída do ex-governador da disputa

23 mai 2022 14h06
| atualizado às 14h35
ver comentários
Publicidade

A saída do ex-governador de São Paulo João Doria (PSDB) da disputa pelo Palácio do Planalto provocou reações de políticos, com mensagens de apoio ao tucano e de ironia pela desistência nas redes sociais.

Foto: Carta Capital

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PSD), afirmou ter respeito por Doria e lembrou a luta do ex-governador paulista para adquirir vacinas durante a pandemia. “Devemos a ele - graças à sua obstinação e capacidade de trabalho -, milhares de vidas salvas pela sua incessante luta pela vacina da covid”, disse.

O deputado federal Rodrigo Maia (PSDB-RJ) classificou Doria como “grande governador de SP”. “Além disso, liderou o Brasil nesse processo da pandemia, trazendo a vacina”, disse.

A deputada federal Sâmia Bomfim (PSOL-SP) declarou que Doria “vai tarde”.

 

Para o deputado federal Alexandre Padilha (PT-SP), a saída de Doria representa que a terceira via não tem espaço na disputa presidencial de 2022.

 

Na linha de Padilha, o deputado federal Orlando Silva (PCdoB-SP) também declarou que a saída do tucano da disputa favorece a polarização entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o presidente Jair Bolsonaro e ainda lembrou que essa será a primeira eleição presidencial desde 1989 em que o PSDB não tem um candidato único.

A deputada federal Joice Hasselmann (PSDB-SP) afirmou que os “extremos comemoram” a desistência de Doria.

O presidente do PDT, Carlos Lupi, aproveitou o momento para defender a pré-candidatura de Ciro Gomes ao Planalto. “Precisamos deixar as aventuras e as torcidas apaixonadas de lado. Precisamos de soluções!”, disse.

A desistência do tucano também virou piada para apoiadores do governo Bolsonaro. O deputado federal Kim Kataguiri (União Brasil-SP) “brincou” com a baixa intenção de voto que Doria apresentava nas pesquisas eleitorais. “Agora são 3% que ele tinha nas pesquisas em jogo. Muda tudo. Só que não”, disse.

O senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ) aproveitou o momento para relembrar as medidas de isolamento e de fechamento do comércio que Doria decretou durante a pandemia de covid-19 e que o presidente Jair Bolsonaro (PL) foi contra.

João Doria anuncia desistência de candidatura à presidência:
Estadão
Publicidade
Publicidade