PUBLICIDADE

Janones desiste de candidatura para apoiar Lula

Deputado federal anunciou saída da disputa pelo Palácio do Planalto após encontro com ex-presidente em São Paulo

4 ago 2022 - 17h25
(atualizado às 18h04)
Ver comentários
Publicidade

O deputado federal André Janones (Avante-MG) anunciou, nesta quinta-feira, 4, que abriu mão de sua candidatura para apoiar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) nas eleições de 2022 ao Palácio do Planalto.  

O anúncio aconteceu após reunião entre Janones e Lula em São Paulo. Pesquisa Datafolha divulgada na semana passada apontou o deputado federal com 1% das intenções de voto. Lula prometeu um novo Bolsa Família no valor de R$ 600, caso seja eleito para um novo mandato em outubro para receber o apoio.

"Nós precisamos criar condições de dizer que um dia esse país vai levantar e ninguém vai ter fome. Essa proposta do auxílio de R$ 600, temos proposta de Bolsa Família de R$ 600, já tem projeto tramitando no Congresso há dois anos garantindo esse valor definitivo. Tudo o que a gente puder gastar, investir para gastar com a fome, será um benefício para o povo brasileiro", garantiu Lula, ao sinalizar que esse valor seria permanente.

A defesa da instituição do Auxílio Emergencial foi umas pautas prioritárias da atividade parlamentar de Janones durante o ano de 2022. Atualmente, o governo Bolsonaro paga o mesmo valor no Auxílio Brasil, mas as parcelas de R$ 600 estão previstas apenas até dezembro.

O deputado federal André Janones (Avante-MG)
O deputado federal André Janones (Avante-MG)
Foto: Divulgação

Janones, que já vinha flertando com a possibilidade de apoiar Lula, fez sua primeira declaração pública a respeito do assunto na semana passada, em suas redes sociais. "Bolsonaro me bloqueou, Ciro não aceitou encontrar comigo, Tebet ignorou por completo minha existência, enquanto aquele que lidera as pesquisas pediu publicamente para conversar comigo. Humildade e democracia andam lado a lado. Convite aceito", escreveu Janones nesta sexta-feira, 29, nas redes sociais. Lula respondeu: "Combinado. Política se faz com diálogo e juntando pessoas pelo bem comum. Vou te ligar."

Em suas redes sociais, Janones também mostrou ter pautas em comum com Lula. Ele afirmou, no dia 28 de julho, que a presidência da República é o meio mais rápido "para levar um auxílio de R$ 600 ao povo de forma permanente, sem fazer isso moeda de troca em período eleitoral". "O meio mais rápido para que a mãe solo receba auxílio em dobro e assim seus filhos tenham condições de um futuro melhor, e principalmente, que tenham dignidade", disse.

Após essa postagem, recebeu o aceno de Lula para conversar. "Fico feliz. Essa também é a causa que me motiva na política, estamos juntos nisso. Vamos conversar", disse Lula. O ex-presidente tem criticado o aumento do auxílio emergencial do governo federal para R$ 600 em seus palanques.

Nesta semana, em palanque na Paraíba, mais uma vez, disse à plateia para usar o dinheiro, mas votar no PT. O aumento do auxílio tem sido uma preocupação entre petistas, em razão de seu poder de atrair eleitores mais necessitados a Bolsonaro.

"Por isso que agora ele aprovou o auxílio emergencial que vai até dezembro. Ele aprovou R$ 600 até dezembro. Vai dar dinheiro para motorista e taxista até dezembro na perspectiva de gastar R$ 41 bilhões para ganhar as eleições. Serão as eleições mais caras do planeta Terra. Eu quero dar um conselho para vocês: se cair dinheiro na conta de vocês, peguem e comam. Porque se não eles vão tomar outra vez!", disse Lula.

Quem é André Janones

Advogado, Janones entrou em evidência durante a grave dos caminhoneiros de 2018 e se tornou um fenômeno nas redes sociais por criticar o então presidente Michel Temer e apoiar a categoria.

Já como deputado, ele teve uma disparada de seguidores em 2020. À época, o deputado abraçou a pauta do Auxílio Emergencial e fez diversas lives para discutir o tema. Dados levantados pela consultoria Bites a pedido do Estadão em maio mostram que Janones era o presidenciável com o maior crescimento proporcional de usuários que o acompanham nas redes sociais desde 2019. Foram quase 1000% mais seguidores em dois anos. O cálculo leva em conta Instagram, Twitter, Facebook e YouTube.

O anúncio da retirada da candidatura do deputado mineiro para apoiar Lula foi publicado nas redes de ambos. No Twitter, o ex-presidente teve 1900 curtidas em 30 minutos; no mesmo intervalo de tempo, Janones conseguiu 38 mil.

O Facebook é o principal meio de comunicação do congressista, plataforma na qual ele bateu o recorde mundial de visualizações simultâneas em uma live em agosto de 2020 - a soma de comentários, compartilhamentos e reações foi de cerca de 3,6 milhões.

O ambiente das gravações é modesto. Uma pequena sala e uma bandeira do Brasil e do Estado de Minas Gerais aparecem entre ele e o fundo da imagem, uma parede branca, sem iluminação rebuscada. Para ele, a horizontalidade na comunicação é a palavra-chave.

Além das lives, em seus perfis nas redes, Janones abre espaço para que seus seguidores ajudem a definir o posicionamento do parlamentar em votações na Câmara.

 

Estadão
Publicidade
Publicidade