PUBLICIDADE

O que é o gás sarin? Entenda como age e por que é usado como arma

16 set 2013 18h09
| atualizado em 20/9/2013 às 15h13
ver comentários
Publicidade
<p>Policiais com trajes protetores sobem escadas de metrô de Tóquio após o ataque com gás sarin</p>
Policiais com trajes protetores sobem escadas de metrô de Tóquio após o ataque com gás sarin
Foto: AFP

Princípio ativo do atual capítulo da guerra civil na Síria, o sarin é um arma química criada e usada no século XX. Ditadores e terroristas se aproveitaram das vantagens dessa substância para fazer seus ataques - muitas vezes a inocentes. Mas por que esse é usado como arma química e quais são suas características?

Metrô de Tóquio
Na hora do rush de 20 março de 1995, cinco homens entravam em diferentes trens em estações de metrô lotadas de Tóquio. Os quatro primeiros carregavam, cada, dois sacos plásticos com um líquido incolor, inodoro e insípido. O último homem carregava três sacos. Em certo momento, eles derrubaram as embalagens no chão e as furaram com um guarda-chuva com a ponta afiada e saíram rapidamente do trem, enquanto as portas fechavam atrás deles.

O líquido começou a evaporar e as pessoas próximas começaram a se sentir mal. Entre os sintomas, elas sentiam náusea, formigamento na boca, dificuldade em respirar, perda de consciência. Os afetados saíam do vagão na estação seguinte e pessoas vinham ajuda-las, mas também eram pegas pelo vapor. Alguns trens continuaram viagem - um deles por uma hora e 40 minutos.

O ataque coordenado resultou em 13 mortes e até 6 mil feridos - muitos em estado grave. A substância escolhida para o ataque: o sarin.

O sarin é conhecido por ser altamente mortífero (1 ml em contato com a pele pode matar uma pessoa) e relativamente barato para ser produzido. Os responsáveis pelo ataque no metrô de Tóquio gastaram "apenas" US$ 10 milhões para fazer seu estoque.

Desde o nazismo
Essa substância não é encontrada na natureza - foi desenvolvida em 1938 na Alemanha. A ideia era que agisse como um pesticida, mas seus criadores (chamados de Schrader, Ambros, Rüdiger e Van der Linde) descobriram que ele funcionava bem demais. Após isso, governos (primeiramente os nazistas) a estudaram e produziram para adicionar ao seu arsenal.

No Oriente Médio, ele também é bem conhecido pelos governos. Saddam Hussein teria matado curdos e iranianos com a arma química. Bashar al-Assad também teria produzido sarin - um dos motivos do foco dos governos estrangeiros nos ataques com armas químicas na Síria.

Características
O sarin é um agente nervoso, substâncias que agem ao evitar o funcionamento correto de uma enzima que atua como o "interruptor" de músculos e glândulas. Sem esse interruptor, as glândulas e músculos são constantemente estimulados, o que deixa as vítimas cansadas e sem conseguir respirar.

Pode ser usado de diversas formas. Pelo ar, ao ser liberado em um local como aerossol ou por vapor. Pode ainda contaminar água, comida e, quando lançado no ar, pode contaminar plantações. A forma mais perigosa é a primeira - pela qual a vítima pode morrer em poucos segundos. É absorvido pelo corpo por inalação, ingestão, contato com a pele e também com os olhos. 

Foto: AFP
Seita
E quanto ao ataque no Japão? Ele foi um trabalho interno - uma seita chamada de Aum Shinrikyo foi responsável. A organização perdeu o status de religião, dado pelo governo japonês. Cerca de 200 pessoas foram presas - a última em 2012. Pelo menos oito receberam pena de morte, inclusive seu membro. A seita, contudo, ainda mantém suas atividades, mas com outro nome (Aleph) e um número bem menor de participantes.

Com informações dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDCs), Wired, BBC e ABC.

 

Fonte: Terra
Publicidade
Publicidade