Fuvest: confira dicas para Língua Portuguesa e Literatura

24 nov 2016
16h19
atualizado em 25/11/2016 às 10h26
  • separator
  • comentários

A Fuvest tem um estilo de prova bastante singular, o que exige a reflexão sobre os conteúdos do Ensino Médio, e não a mera reprodução de fórmulas, datas e regras. Fato que não deve preocupar a geração nascida na Era da Informação, afinal, nem só de memes vivem os estudantes do Século XXI, mas sim de consciência crítica e capacidade de interpretar as entrelinhas.

Antes de "derrubar o forninho" por conta da ansiedade, aqui vão algumas dicas para você se preparar, "lacrar" no dia da prova e não ficar na bad depois que ela passar.

Além de documento original de identidade com foto, os estudantes devem levar caneta esferográfica com tinta azul ou preta para a prova. Lápis e borracha podem ser usados apenas para rascunho. A Fuvest permite o consumo de água e alimentos leves durante o exame.
Além de documento original de identidade com foto, os estudantes devem levar caneta esferográfica com tinta azul ou preta para a prova. Lápis e borracha podem ser usados apenas para rascunho. A Fuvest permite o consumo de água e alimentos leves durante o exame.
Foto: iStock

A prova de Língua Portuguesa e Literatura

1. Revise – fazendo mapas mentais – os assuntos mais cobrados:

- Variante/Variedade Linguística

- Sintaxe do Período Simples e do Período Composto (a diferença entre Sujeito e Vocativo em períodos diferentes é sempre cobrada)
Verbo (conjugação e flexão)

- Estrutura e Formação de Palavras (Efeito de sentido de Prefixos e Sufixos)

- Vocabulário

- Figuras de Linguagem (especialmente: ironia, metáfora e metonímia)

2. Preste atenção na expressão “recursos linguísticos”

Na visão reflexiva, os elementos gramaticais (pontuação, conjunções, adjetivos, advérbios e todos aqueles nomes lindos que fizeram você ter pesadelos nos últimos 12 anos) são tratados como uma ferramenta para atingir um efeito de sentido, ou seja, são analisados de acordo com a intenção do autor ou da autora do texto. Assim, o enunciado não vai pedir apenas para quem você classifique a palavra, mas também para que explique o efeito de sentido dela no texto.

3. Ainda sobre os recursos linguísticos

Porque sim! Você vai ler isso muitas vezes na prova! Os recursos linguísticos estão ligados à intencionalidade de quem produziu o texto e são resultado da linguagem (formal ou informal) escolhida para a situação comunicacional. Aqui entra a importância de se entender a variante linguística, que nada mais é do que as possibilidades que a língua oferece para a comunicação.

4. Nunca utilize como base de argumento “escrita certa ou errada”.

Troque por “de acordo ou em desacordo com a norma-padrão”. Isso fará você ganhar não só pontos como a simpatia dos corretores da Segunda Fase.

5. Esteja em alerta para elementos de coesão e coerência do texto

Fique atento aos elementos de coesão e coerência do texto, como pronomes (principalmente os relativos e demonstrativos) e conjunções. A banca costuma pedir seu caráter remissivo, ou seja, o de remeter a outra expressão ou elemento do texto.

6. A lista de livros não é meramente decorativa

Os livros realmente são cobrados em todos os seus detalhes, especialmente contexto histórico-social e características sociais da obra. Caso você não tenha lido todos os livros, pode aproveitar os canais literários do Youtube, que falam das obras de uma forma mais leve e descontraída. A youtuber Tatiana Feltrin (Tiny Little Things) é formada em Letras, e tem uma série no canal com resenhas especiais das listas da Fuvest. Vale muito a pena conferir!

7. Não confunda INTERPRETAR com COMPREENDER!

Quando o enunciado diz “de acordo com o texto”, ele está pedindo para que você compreenda o texto, ou seja, retire a informação que está NO TEXTO, e não fora dele. Quando no enunciado você encontra “a partir do texto pode-se inferir que”, você deve interpretar o texto, ou seja, pensar no contexto, nos aspectos que estão relacionados ao universo em que o texto foi produzido.

8. Leia. Leia novamente. Leia mais uma vez

A maioria dos erros ocorre porque o vestibulando simplesmente não leu o enunciado com atenção.

9. Dúvida entre alternativas

Caso fique em dúvida entre duas alternativas (‘Imagina! Isso nunca aconteceu, não é mesmo?), reflita: qual delas responde ao enunciado e qual delas representa o que eu penso sobre o enunciado? A alternativa certa é sempre a que responde ao enunciado, afinal, ele é o rei da prova.

10. Mantenha a calma, por mais difícil que possa parecer

Respire fundo, alongue o pescoço, pense em unicórnios, gatinhos ou qualquer outro bichinho fofo que faça seu cérebro sorrir. E, por último, não duvide por um segundo sequer da sua capacidade! Boa prova e sucesso!

*Patrícia Pirota é professora (por formação e de coração) de Língua Portuguesa, Redação e Literatura desde o século passado. Graduada em Letras pela UFMS e Mestre em Tecnologia e Sociedade pela UTFPR, ainda acredita no poder que a língua portuguesa e a educação têm de representar nossa identidade, melhorar o mundo e encantar o ser humano. Patrícia é uma das docentes do Terra Cursinho Online, que oferece aulas ao vivo e retorno de dúvidas em 48h. Saiba mais: https://servicos.terra.com.br/

cursinho-online/ .

Fonte: Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade