Reitor do Mackenzie é nomeado novo presidente da Capes

Benedito Guimarães Aguiar Neto substitui Anderson Ribeiro Correia, eleito reitor do ITA; agência de fomento à pesquisa foi alvo de cortes de bolsas em 2019

24 jan 2020
09h55
atualizado às 15h02
  • separator
  • 0
  • comentários

SÃO PAULO - O reitor da Universidade Presbiteriana Mackenzie, Benedito Guimarães Aguiar Neto, foi nomeado nesta sexta-feira, 24, o novo presidente da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), uma das principais agências de fomento à pesquisa no País e ligada ao Ministério da Educação (MEC).

A nomeação foi publicada no Diário Oficial da União junto com a exoneração do atual presidente da agência, Anderson Ribeiro Correia.

Aguiar Neto foi indicado para o cargo pelo próprio Correia, que desde o ano passado já queria deixar o cargo. Ele foi eleito reitor do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA).

Correia enfrentou no ano passado uma das piores crises da Capes, com os cortes de bolsas para pesquisa por causa do bloqueio orçamentário, mas também pelos ataques feitos pelo ministro Abraham Weintraub contra a ciência produzida no País.

Assim como Correia, a indicação de Aguiar Neto contempla a base evangélica do presidente Jair Bolsonaro, que se sente preterida pelos ideólogos do escritor Olavo de Carvalho, que dominaram as diretrizes e indicações do MEC.

Além da religião de Aguiar Neto, outro ponto avaliado na nomeação é que ele, por vir de uma faculdade privada, pode articular agendas para o ensino superior particular. Ele, no entanto, deve enfrentar um cenário difícil à frente da Capes neste ano já que o MEC decidiu cortar pela metade o orçamento do órgão em 2020. A agência terá R$ 2,2 bilhões neste ano. Em 2019, eram R$ 4,25 bilhões e ainda assim teve que reduzir o número de bolsas.

Criacionismo

Enquanto reitor do Mackenzie, Aguiar Neto apoiou a criação de um núcleo de ciência, fé e sociedade que tem como um de seus objetivos fazer pesquisas sobre a chamada teoria do Design Inteligente, uma nova vertente do criacionismo. Em outubro do ano passado, o Mackenzie realizou um congresso sobre o assunto. Na ocasião, o reitor disse, segundo notícia publicada no site da própria universidade, que quer disseminar essa teoria na educação básica.

"Queremos colocar um contraponto à teoria da evolução e disseminar que a ideia da existência de um design inteligente pode estar presente a partir da educação básica, de uma maneira que podemos, com argumentos científicos, discutir o criacionismo", disse Aguiar Neto à época. Na academia, design inteligente ou criacionismo não são teorias científicas. Em países como o Reino Unido e alguns estados americanos, a legislação proíbe o ensino delas como sendo ciência em escolas e universidades públicas.

Carreira

Reitor do Mackenzie desde 2011, Aguiar Neto é engenheiro eletricista, formado na Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Ele já foi presidente do conselho diretor da Fundação Parque Tecnológico da Paraíba membro das comissões de Assessoria do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) e de Especialistas de Engenharia do Ministério da Educação/Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (MEC/Confea), bem como do conselho curador da Fundação Padre Anchieta.

Também foi avaliador do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), presidente do Conselho de Reitores das Universidades Brasileiras (CRUB) e da Associação Brasileira de Instituições Educacionais Evangélicas (ABIEE) e membro do Conselho Superior de Estudos Avançados da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Consea/Fiesp).

Com a nomeação, Aguiar Neto deixa a reitoria do Mackenzie, que passará a ser ocupada por Marco Tullio de Castro Vasconcelos, atualmente vice-reitor da universidade.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade