PUBLICIDADE

Redação do Enem 2023: como é corrigida?

Veja como é corrigida a redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2023. Tema foi sobre a invisibilidade do trabalho de cuidado feito pela mulher.

20 nov 2023 - 07h10
Compartilhar
Exibir comentários

A redação do Enem 2023 foi aplicada no primeiro domingo de provas, no dia 5 de novembro. Os candidatos tiveram que produzir um texto com o tema "Desafios para o enfrentamento da invisibilidade do trabalho de cuidado realizado pela mulher no Brasil". 

Como a redação do Enem é corrigida
Como a redação do Enem é corrigida
Foto: Gabriel_Ramos / Shutterstock / Brasil Escola

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) exige dos estudantes a produção de um texto dissertativo-argumentativo, o qual é caracterizado pela defesa de um ponto de vista por meio da argumentação, aponta o professor Fernando Marinho neste artigo.

Além disso, é necessário que os participantes apresentem uma proposta de intervenção, que faz parte da conclusão do texto da redação.

A cartilha da redação do Enem 2023 é o documento que apresenta as principais informações sobre a produção textual do exame, as competências avaliadas, como é corrigida a redação e exemplos de textos nota mil. 

Os critérios de avaliação da redação do Enem são bem pensados e objetivos, aponta Julia Ferreira, coordenadora de redação da Plataforma Nota 1000. A educadora aponta também que os avaliadores do exame são submetidos a um longo processo de treinamento para garantir a qualidade na correção. 

Como é corrigida a redação do Enem 2023?

A redação do Enem 2023 é corrigida por, pelo menos, dois professores graduados em Letras ou Linguística, de forma independente, sem que um saiba o desempenho atribuído pelo outro, conforme a cartilha da redação do Enem.

Os avaliadores atribuirão a nota da redação de acordo com as cinco competências:

  • Competência 1: Demonstrar domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa.

  • Competência 2: Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo em prosa.

  • Competência 3: Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

  • Competência 4: Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

  • Competência 5: Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

A nota de cada competência pode ser de 0 a 200. O valor total da redação é 1.000 pontos. A nota final será a média aritmética das notas dos dois avaliadores.

Veja a explicação detalhada sobre cada competência na videoaula abaixo:

Segundo Julia Ferreira, um aspecto que poderia ser melhorado na correção é a avaliação de estratégias coesivas. Ferreira afirma que apesar do Enem avaliar os elementos coesivos, não há uma valorização de outros tipos de formas coesivas.

Os parâmetros mais universais utilizados na correção permitem com que 'modelos prontos de redação' tenham bons desempenhos. Com isso, de acordo com a professora, alguns estudantes recorrem a esse método de "decorar" o modelo textual se exercitar a "capacidade de desenvolvimento de atumentos sólidos".

"Essas fórmulas indicam um problema de raízes mais profundas: as lacunas da Educação Básica, que fazem com que os estudantes tomem esse caminho em detrimento de aprimorar sua prática discursiva, uma vez que muitos não têm a oportunidade de participar de aulas mais interativas e críticas sobre o assunto que podem cair no exame, e a própria grade de correção, em parte, pode beneficiar textos que não são tão autorais assim".

Julia Ferreira

Discrepância da nota da redação

Caso as notas dos dois avaliadores tiverem uma das diferenças abaixo, a redação será corrigida por um terceiro avaliador:

  • Diferença maior que 100 pontos no valor total.

  • Diferença de 80 pontos em uma das competências.

O terceiro avaliador atribuirá a nota de forma indepedente. Será feita a média arimética das notas que mais se aproximarem.

Caso a discrepância continue, a cartilha prevê que uma banca de três professores fará a avaliação da redação atribuindo uma nota final e definitiva.

O que zera a redação do Enem 2023?

Veja quais são os motivos que zeram e anulam a redação do Enem 2023, de acordo com a cartilha da redação:

  • fuga total ao tema;

  • não obediência ao tipo dissertativo-argumentativo;

  • extensão de até 7 (sete) linhas manuscritas, qualquer que seja o conteúdo, ou extensão de até 10 (dez) linhas escritas no sistema braille;

  • cópia de texto(s) da Prova de Redação e/ou do Caderno de Questões sem que haja pelo menos 8

  • linhas de produção própria do participante;

  • desenhos e outras formas propositais de anulação em qualquer parte da Folha de Redação (incluindo os números das linhas na margem esquerda);

  • números ou sinais gráficos sem função evidente em qualquer parte do texto ou da Folha de Redação (incluindo os números das linhas na margem esquerda);

  • parte deliberadamente desconectada do tema proposto;

  • impropérios e outros termos ofensivos, ainda que façam parte do projeto de texto;

  • assinatura, nome, iniciais, apelido, codinome ou rubrica fora do local devidamente designado para a assinatura do participante;

  • texto predominante ou integralmente escrito em língua estrangeira;

  • Folha de Redação em branco, mesmo que haja texto escrito nas Folhas de Rascunho;

  • texto ilegível, que impossibilite sua leitura por dois avaliadores independentes.

Espelho da redação e vista pedagógica

O espelho da redação consiste na reprodução em arquivo do texto produzido por cada participante do Enem. Já a vista pedagógica é o detalhamento da correção da redação.

Ambos são divulgados no mesmo dia, o que ocorre semanas depois da liberação do boletim de desempenho. 

Resultado do Enem 2023

O resultado do Enem 2023 será liberado no dia 16 de janeiro. Neste dia, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgará o Boletim de Desempenho com as notas de todas as cinco provas do exame na página do participante.

Os candidatos podem utilizar suas notas de diversas formas, entre elas estão os processos seletivos do Ministério da Educação (MEC):

  • Sistema de Seleção Unificada (SiSU): oferece vagas em cursos de graduação de universidades públicas.

  • Programa Universidade para Todos (ProUni): disponibiliza bolsas de estudo, integrais (100%) e parciais (50%), em instituições de ensino superior privadas. 

  • Fundo de Financiamento Estudantil (Fies): concede financiamento para o pagamento das mensalidades de cursos oferecidos em faculdades particulares.

É possível também utilizar o desempenho do exame em seleções próprias das universidades, tanto públicas quanto privadas.

Fique por dentro de tudo do Enem 2023 aqui! 

Crédito da imagem:

Brasil Escola
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade