PUBLICIDADE

Como ter uma redação nota mil no Enem? Veja textos com avaliação máxima

Dos mais de 2,2 milhões de participantes no Enem 2021, apenas 22 alcançaram a nota mil na redação

10 nov 2022 - 15h10
(atualizado em 11/11/2022 às 09h23)
Compartilhar
Exibir comentários
Redação é uma das áreas mais importantes do Enem e pontuar bem nela é fundamental para um bom desempenho do candidato.
Redação é uma das áreas mais importantes do Enem e pontuar bem nela é fundamental para um bom desempenho do candidato.
Foto: Sergio Castro/Estadão / Estadão

Para se alcançar a nota máxima na redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), o candidato deve ter atenção aos critérios exigidos, assim como aplicar corretamente as técnicas de escrita e demonstrar conhecimento pelo tema abordado. No ano passado, dos mais de dois milhões de participantes, somente 22 tiveram as melhores avaliações – 19 mulheres e 3 homens.

A redação é um dos quesitos mais importantes para o concorrente obter uma boa nota total no Enem. O primeiro dia do exame, que reúne as Provas de linguagens (40 questões de língua portuguesa e 5 de inglês ou espanhol) e ciências humanas (45 questões) – além da redação –, será neste domingo, 13.

Conforme a Cartilha do Participante - A Redação do Enem 2022, que está disponível no portal do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), antes de escrever o texto, é essencial ler cuidadosamente a proposta apresentada, os textos motivadores e as instruções, a fim de compreender com exatidão o que está sendo solicitado.

Fabiula Neubern, coordenadora de redação do Poliedro Curso, lembra que, entre as exigências, o Enem pede um texto dissertativo-argumentativo, desta forma, o candidato deve apresentar um repertório externo à prova que seja legitimado e pertinente ao tema da redação.

“Dado que o tema será um problema de ordem nacional, e isso todos os candidatos sabem de antemão, esse problema poderá estar explícito na proposta ou implícito, havendo a necessidade de discutir e comprová-lo. Essa discussão precisa estar permeada pela presença de repertório legitimado, ou seja, dos conhecimentos do aluno que serão aplicados a essa discussão”, salienta Fabiula.

Além disso, segundo ela, espera-se que, após ter identificado a problema, exposto e discutido, o participante apresente uma proposta de solução ou intervenção.

“A redação também deve conter uma proposta de intervenção completa, com a apresentação de agente, ação, modo ou meio de execução da ação, efeito pretendido ou alcançado pela ação proposta e um detalhamento de qualquer um dos quatro elementos principais (agente, ação, modo ou efeito)”, acrescenta Nayara Natália de Barros, professora e coordenadora de redação do Colégio Etapa Valinhos.

Ela recomenda ainda uma revisão atenta do rascunho, a fim de evitar desvios gramaticais, por exemplo.

Competências avaliadas

1 - Demonstrar domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa. Para obter nota máxima, o candidato deve demonstrar excelente domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa. Desvios gramaticais ou de convenções da escrita serão aceitos somente como excepcionalidade e quando não caracterizarem reincidência.

2 - Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo em prosa. É preciso desenvolver o tema por meio de argumentação consistente, a partir de um repertório sociocultural produtivo, e apresentar excelente domínio do texto dissertativo-argumentativo sobre uma situação-problema quase sempre relacionada à sociedade brasileira.

3 - Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. É necessário apresentar informações, fatos e opiniões relacionados ao tema proposto, de forma consistente e organizada, configurando autoria, em defesa de um ponto de vista.

4 - Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. Articule bem as partes do texto e apresente repertório diversificado de recursos coesivos.

5 - Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Aqui, são considerados os seguintes princípios norteadores dos direitos humanos, pautados no artigo 3º da Resolução nº 1, de 30 de maio de 2012, o qual estabelece as Diretrizes Nacionais para a Educação em Direitos Humanos:

- Dignidade humana

- Igualdade de direitos

- Reconhecimento e valorização das diferenças e diversidades

- Laicidade do Estado

- Democracia na educação

- Transversalidade, vivência e globalidade

- Sustentabilidade socioambiental

Enem 2022 terá mudanças importantes no formato da prova
Enem 2022 terá mudanças importantes no formato da prova
Foto: Divulgação/Pinterest / Estadão

Avaliação da redação

O texto produzido é avaliado por, pelo menos, dois professores graduados em Letras ou Linguística, de forma independente, sem que um conheça a nota atribuída pelo outro.

“Cada avaliador atribuirá uma nota entre 0 e 200 pontos para cada uma das cinco competências. A soma desses pontos comporá a nota total de cada avaliador, que pode chegar a 1.000 pontos. A nota final do participante será a média aritmética das notas totais atribuídas pelos dois avaliadores”, conforme consta na ‘Cartilha do Participante - A Redação do Enem 2022′.

Quais as principais técnicas para se alcançar nota 1.000 na redação do Enem?

“Para alcançar a nota 1.000, ou ao menos se aproximar dela, o que já é ótimo – afinal o número de redações acima de 900 ficou em 4,7% do total na última edição do exame –, o aluno precisa dedicar um tempo ao projeto de texto”, orienta Nayara Natália de Barros, professora e coordenadora de redação do Colégio Etapa Valinhos.

Segundo ela, esse planejamento deve levar em conta a elaboração de uma tese de constatação do problema e ao menos dois aspectos principais a serem trabalhados nos parágrafos de desenvolvimento.

“Ainda na fase do planejamento textual, é importante que o candidato defina qual será e como será constituída a proposta de intervenção social, que deve, necessariamente, estar relacionada aos aspectos selecionados para a discussão. Em resumo, com um projeto de texto consolidado, anterior ao rascunho, o participante ficará mais tranquilo, porque saberá de onde quer partir e aonde quer chegar com o texto”, acrescenta a professora.

Isso diminui, na avaliação de Nayara, a ansiedade na hora de desenvolver as ideias e pode garantir a tranquilidade necessária para a elaboração de um excelente texto. “Vale destacar que o projeto de texto não é uma camisa de força e que, no decorrer da escrita, ele pode sofrer alterações que o aluno julgue serem mais adequadas aos seus propósitos argumentativos”, aponta ela.

Para a coordenadora de redação do Poliedro Curso, para alcançar nota máxima na redação do Enem, o candidato precisa ter fluência de escrita. “Entende-se que os candidatos, que já obtiveram essa nota, são candidatos que escreveram muitos textos, que treinaram com diversos temas para esse modelo de texto do Enem e foram chegando ao seu próprio modelo textual”, afirma.

“Muitos dos alunos usam como linha argumentativa a ineficiência estatal ou a negligência da sociedade. E para essas linhas de argumentação, que compõem o ponto de vista, existem sim repertórios que se aplicam. Muitos deles treinam a aplicação desses repertórios em diversos temas e assim estão desenvolvendo técnicas para alcançar a nota mil em redação”, completa Fabiula.

Como o título da redação é avaliado?

O título é um elemento opcional na produção da redação. Assim, embora seja considerado linha escrita, não é avaliado em qualquer aspecto relacionado às competências da matriz de referência.

No entanto, o título pode levar à atribuição da nota zero à redação caso apresente alguma característica passível de anulação (por exemplo: desenhos e sinais gráficos).

Importância de manter leitura frequente

“É importante que, ao longo do ano letivo, o estudante tenha se dedicado a ler diferentes textos veiculados em jornais e revistas e a ouvir podcasts de notícias e atualidades, para se manter atualizado e ampliar seu repertório sociocultural, de modo a não ficar preso a modelos e frases prontas que circulam na internet’, finaliza Nayara, do Colégio Etapa Valinhos.

- Amplia o vocabulário, possibilitando que nossa expressão na linguagem formal, exigida em exames como o Enem, seja cada vez melhor, ajudando-nos a fazer bom uso de sinônimos e articuladores argumentativos, segundo o Inpe.

- Diversifica nosso repertório sociocultural, contribuindo para a seleção de ideias, fatos e informações que podem ser utilizados na construção de argumentos sobre os mais variados temas.

- Permite-nos enxergar outras possibilidades de construção da argumentação, proporcionando bons exemplos de como defender um ponto de vista – demonstrando, por exemplo, como antecipar e rebater contra-argumentos.

- Expande nossa visão de mundo, auxiliando-nos a compreender a complexidade das relações humanas e a nos colocar no lugar do outro. Isso facilita, por exemplo, a elaboração de propostas de intervenção concretas e bem articuladas ao tema proposto.

“É importante que, ao longo do ano letivo, o estudante tenha se dedicado a ler diferentes textos veiculados em jornais e revistas e a ouvir podcasts de notícias e atualidades, para se manter atualizado e ampliar seu repertório sociocultural, de modo a não ficar preso a modelos e frases prontas que circulam na internet’, finaliza Nayara, do Colégio Etapa Valinhos.

A redação receberá nota zero se apresentar as seguintes características:

- Fuga total ao tema.

- Não obediência ao tipo dissertativo-argumentativo.

- Cópia de texto(s) da prova de redação e/ou do caderno de questões sem que haja pelo menos 8 linhas de produção própria do participante.

- Desenhos e outras formas propositais de anulação, em qualquer parte da folha de redação (incluindo os números das linhas na margem esquerda).

- Números ou sinais gráficos sem função evidente em qualquer parte do texto ou da folha de redação (incluindo os números das linhas na margem esquerda).

- Parte deliberadamente desconectada do tema proposto.

- Impropérios e outros termos ofensivos, ainda que façam parte do projeto de texto.

- Assinatura, nome, iniciais, apelido, codinome ou rubrica fora do local devidamente designado para a assinatura do participante.

- Texto predominante ou integralmente escrito em língua estrangeira.

- Folha de redação em branco, mesmo que haja texto escrito na folha de rascunho.

- Texto ilegível, que impossibilite sua leitura por dois avaliadores independentes. Por isso, é importante escrever a redação com letra legível.

Veja a seguir redações que obtiveram pontuação máxima (1.000 pontos) na edição de 2021 do Enem:

Uma das redações que alcançou pontuação máxima (1.000 pontos) na edição de 2021 do Enem.
Uma das redações que alcançou pontuação máxima (1.000 pontos) na edição de 2021 do Enem.
Foto: Inep
Uma das redações que alcançou pontuação máxima (1.000 pontos) na edição de 2021 do Enem.
Uma das redações que alcançou pontuação máxima (1.000 pontos) na edição de 2021 do Enem.
Foto: Inep
Uma das redações que alcançou pontuação máxima (1.000 pontos) na edição de 2021 do Enem.
Uma das redações que alcançou pontuação máxima (1.000 pontos) na edição de 2021 do Enem.
Foto: Inep

Relembre os temas de redação do Enem nos últimos anos:

2021: Invisibilidade e registro civil: garantia de acesso à cidadania no Brasil

2020: O estigma associado às doenças mentais na sociedade brasileira

2019: Democratização do acesso ao cinema no Brasil

2018: Manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet

2017: Desafios para a formação educacional de surdos no Brasil

Confira informações sobre a aplicação das provas:

Na edição deste ano, 3.396.632 estudantes estão aptos a realizar o exame em todos os estados e no Distrito Federal. O tema da redação será o mesmo para as duas versões: impressa e digital. Cabe pontuar que a redação da versão em computador do exame será realizada em material impresso.

13 de novembro (domingo):

Provas de linguagens (40 questões de língua portuguesa e 5 de inglês ou espanhol) e ciências humanas (45 questões) – além da redação.

20 de novembro (domingo):

No segundo, os participantes farão as avaliações de matemática (45 questões) e ciências da natureza (45 questões).

  • Abertura dos portões: 12h
  • Fechamento dos portões: 13h
  • Início das provas: 13h30
  • Término das provas (1º dia): 19h
  • Término das provas (2º dia): 18h30
  • Permissão para sair do local com o caderno da prova: Apenas nos 30 minutos finais da aplicação do exame.

Como determinado pelo edital, o exame prevê utilização de máscaras de proteção contra a covid-19. No entanto, o uso está liberado em localidades onde não haja decreto obrigatório. O gabarito das provas objetivas estará disponível no portal do Inep até o terceiro dia útil após o último dia de aplicação. Clique aqui para tirar suas dúvidas sobre o maior exame educacional do País.

Estadão
Compartilhar
Publicidade
Publicidade