PUBLICIDADE

SiSU 2024: Como Funciona e Novas Regras

Descubra tudo sobre o Sistema de Seleção Unificada (SiSU) em 2024 e fique por dentro das mudanças que ocorreram.

28 fev 2023 - 17h01
(atualizado em 23/1/2024 às 20h55)
Compartilhar
Exibir comentários
Resumo
O SISU é um processo seletivo criado para selecionar estudantes para universidades públicas de acordo com suas notas no Enem. A partir de 2024 passa a ser realizado uma vez ao ano, em janeiro.
SiSU é sistema do MEC que administra oferta de vagas em universidades
SiSU é sistema do MEC que administra oferta de vagas em universidades
Foto: Guia do Estudante/Luccas Diaz/Reprodução

O SiSU é uma oportunidade para estudantes que fizeram o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) consigam entrar em universidades estaduais e federais para cursar o ensino superior de graça.

Em 2024, as inscrições para o SISU começaram no dia 22 de janeiro, uma semana após a divulgação do resultado do Enem 2023.

O que é o SiSU?

Sigla para Sistema de Seleção Unificada, o SISU é um processo seletivo criado para selecionar estudantes para universidades públicas de acordo com suas notas no Enem. Para isso, é preciso se inscrever no site e aguardar os resultados.

O SiSU foi criado em 2009 durante o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, quando Fernando Haddad, atual Ministro da Fazenda, estava no comando do Ministério da Educação (MEC).

A plataforma entrou no ar pela primeira vez no ano seguinte. O sistema eletrônico é gerido pelo MEC e controla as vagas ofertadas em instituições de ensino superior, sendo a maioria institutos federais.

O SiSU é de graça?

Sim! O estudante que se inscrever no SISU não precisa pagar nada para participar do processo seletivo para as universidades.

Isso porque o SiSU não se trata de uma prova, mas de um sistema gratuito para entrar em universidades públicas com a nota do Enem.

Como funciona o SiSU?

O SiSU funciona como um processo seletivo no qual o sistema seleciona os estudantes com base na nota do Enem. No sistema, são mostradas a oferta de vagas, por curso e modalidade de concorrência (vagas gerais ou cotas), de acordo com as escolhas dos candidatos. 

Os estudantes podem escolher até duas opções de cursos. Algumas universidades concedem bônus na nota do Enem para quem mora no mesmo estado ou região.

Os candidatos são classificados de acordo com sua média do Enem e modalidade de concorrência. Quem tem a maior média para a graduação selecionada acaba sendo classificado.

O SiSU ainda oferece a possibilidade de entrar em lista de espera caso o aluno não seja aprovado na chamada regular. Diferentemente dos anos anteriores, agora a lista de espera vale pelo ano todo.

Qual o calendário do SISU 2024?

As principais datas do SiSU 2024 são as seguintes:

  • Inscrições: 22 a 25 de janeiro
  • Chamada regular única: 30 de janeiro
  • Período de matrícula dos selecionados: 1º a 7 de fevereiro
  • Manifestação de interesse na lista de espera: 30 de janeiro a 7 de fevereiro

Quem pode se inscrever?

O SiSU está disponível para qualquer pessoa que tenha feito o Enem no ano anterior. Também é preciso não ter zerado a nota da redação do exame.

Quem fez o exame como treineiro também não pode concorrer.

Como fazer a inscrição?

Para se inscrever no SiSU é preciso acessar o Portal Acesso Único, fazer login com a conta no portal gov.br, confirmar os dados e pesquisar as vagas disponíveis.

Durante o período de inscrições, os estudantes devem escolher os cursos desejados e acompanhar a nota de corte e classificação parcial. Depois, é feita a chamada regular, e o aluno pode saber se passou ou não.

Quantas vagas serão disponibilizadas no SiSU em 2024?

Em 2024, o SiSU disponibilizará 264.360 vagas distribuídas por 127 instituições de educação superior participantes do programa. 

Quais são as principais mudanças do SiSU em 2024?

Em 2024, o SiSU passará por mudanças. Veja quais são elas:

O SISU será anual

Antes, o SiSU tinha duas edições: uma no primeiro semestre e outra no segundo semestre do ano. Em 2024, isso mudará: o SiSU só vai acontecer no primeiro semestre do ano.

Essa é uma estratégia para diminuir vagas ociosas e remanescentes, que não eram preenchidas devido à baixa procura, pela troca ou desistência do curso.

Mas, quem queria entrar na faculdade apenas no segundo semestre não deve se preocupar: basta se inscrever nesta edição.

E quem não passou nas primeiras chamadas não deve se preocupar: haverá mudança na lista de espera, o que pode beneficiar a todos.

A lista de espera também será anual

Se antes as listas de espera do SiSU fechavam, isso não é mais um problema: em 2024, a lista de espera será anual. Isso significa que os estudantes podem ser chamados para o curso de interesse a qualquer momento do ano letivo.

Essa mudança, porém, não altera o fato de que para participar da lista de espera, é preciso demonstrar interesse diretamente no site do sistema.

Não será possível escolher entre o primeiro e o segundo semestre

Em 2024, as universidades ofertarão vagas para cursos que começam no primeiro e no segundo semestre. Mas, os estudantes não poderão escolher quando querem começar: é a ordem de classificação que define se ele ingressará no curso durante o primeiro semestre do ano ou no segundo.

Por exemplo, se um curso disponibiliza 50 vagas para o primeiro semestre e mais 60 para o segundo, mas estão inscritas 200 pessoas, isso significa que os 50 candidatos com as melhores notas serão selecionados para o primeiro semestre, os 60 candidatos que vem depois ingressarão no segundo semestre e os 90 candidatos que sobraram ficam na lista de espera e podem ser chamados a qualquer momento do ano.

Fácil, não?

Mas é preciso se atentar ao período de matrícula, pois todos os estudantes selecionados, tanto para o primeiro quanto para o segundo semestre, tem a mesma data de matrícula e, caso não a cumpram, perdem a vaga desejada.

Mudanças na lei de cotas e na renda mínima

O SiSU de 2024 também apresentará mudanças na Lei de Cotas e na renda mínima.

Antes, a renda mínima para participar da cota de baixa renda era de um salário mínimo e meio per capita. Esse ano, ela foi diminuída para um salário mínimo per capita.

Já sobre a lei de cotas, temos um tópico especial explicando isso logo abaixo!

Como funcionam as cotas no SiSU?

Os estudantes podem ter direito ao sistema de cotas nas universidades pelo SiSU. Entre eles, estão as pessoas que cursaram o Ensino Médio em escolas públicas; estudantes com renda familiar bruta mensal per capita igual ou inferior a 1 salário mínimo; candidatos autodeclarados pretos, pardos, indígenas, quilombolas e pessoas com deficiência.

A partir de 2024, todos os candidatos, inicialmente, concorrerão na categoria de ampla concorrência. Dessa forma, será possível selecionar os estudantes com as melhores notas logo no início.

A fase de separação de acordo com as cotas vai acontecer nas categorias de reserva de vagas, onde os candidatos que têm direito às cotas, mas não foram aprovados na fase de ampla concorrência, serão selecionados.

Ou seja, primeiro os candidatos concorrerão às vagas de ampla concorrência e depois as vagas reservadas para alunos cotistas serão abertas.

Essa nova política foi adotada para que as cotas auxiliem os candidatos que realmente precisam ou são adequados para elas.

Quanto preciso tirar para passar no SiSU?

A nota necessária para passar no SiSU depende do curso e universidade escolhida pelo candidato. Por isso, é necessário ficar atento às notas de corte de cada instituição de ensino.

O que são as notas de corte?

As notas de corte do SiSU são as notas mínimas que o candidato precisa ter obtido no Enem para conseguir ingressar no curso e faculdade desejados.

Por exemplo, se a nota mínima de um curso é 752, isso significa que o candidato que será classificado em último lugar tem essa nota e, portanto, é a nota de corte do curso.

As notas de corte mudam todos os dias. Por isso, é fundamental acessar e vê-la diariamente enquanto as inscrições do SiSU estão abertas.

Como funciona a lista de espera do SiSU?

Quem não for convocado pela chamada regular do SiSU tem a opção de se inscrever na lista de espera. 

Em 2024, elas serão anuais, ou seja, os candidatos que não forem classificados poderão ser chamados a qualquer momento do ano letivo, seguindo a ordem de classificação do programa.

Não passei no SiSU. E agora?

Se você não passou no SiSU, não perca as esperanças: é possível se inscrever também no ProUni e no Fies, caso o estudante preencha os requisitos para os programas.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade