Enem terá aplicação digital em 2020 em fase piloto

Proposta é de uma implementação progressiva; nada irá mudar para os participantes inscritos em 2019

3 jul 2019
10h35
atualizado às 11h09
  • separator
  • comentários

O Ministério da Educação (MEC) anunciou nesta quarta-feira, 3, em Brasília, que o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) vai se tornar digital. A proposta é de uma implementação progressiva. Em 2020, a versão digital será aplicada em fase piloto.

Enem passará por modificações
Enem passará por modificações
Foto: Ananda Migliano / Futura Press

A previsão do governo é abandonar as versões impressas em 2026. Nada irá mudar para os participantes inscritos em 2019. As primeiras aplicações digitais serão opcionais. O estudante vai escolher o modelo no momento da inscrição.

Segundo o MEC, no primeiro ano de teste, o modelo digital será aplicado para 50 mil pessoas em 15 capitais do país. A expectativa é que a versão digital abra outras possibilidades como a de realização do exame em várias datas ao longo do ano, por agendamento.

Em 2020, portanto, o Enem terá três aplicações: a digital, a regular e a reaplicação. Este último caso é voltado para candidatos prejudicados por algum problema logístico ou de infraestrutura durante a realização da prova digital. Eles terão direito à reaplicação, que ocorrerá em papel.

Para o governo, o Enem Digital vai permitir a utilização de novos tipos de questões com vídeos, infográficos e até a lógica dos games. Também será possível aplicar o Enem em mais municípios.

A ideia de aplicar o Enem de forma digital não é nova e começou a ser discutida em 2012. Os últimos presidentes do Inep e principais quadros do MEC já defendiam nos últimos anos que a transição para a prova online deveria ser uma prioridade para os próximos anos, já que esse modelo é mais seguro que o atual.

No ano ano passado, em entrevista ao Estado, a então presidente do Inep, Maria Inês Fini, explicou, mesmo com o investimento em tecnologia, a aplicação online seria mais barata e segura. Em 2017, a prova custou R$ 505,5 milhões - apenas 25% dos gastos são cobertos pelo valor da taxa de inscrição, de R$ 82 - e envolveu mais de 600 mil pessoas na elaboração, distribuição, aplicação e correção do exame.

Com 5,5 milhões de inscritos para a edição deste ano, o Enem é a segunda maior prova de acesso ao ensino superior do mundo, atrás apenas do Gaokao, o vestibular chinês, que tem anualmente cerca de 9 milhões de inscrições.

Edição do Enem 2019

O Enem é a maior prova do Brasil e dá acesso a uma centena de universidades federais, estaduais e privadas que usam o exame como forma de seleção. Em 2019, mais de 10,2 milhões de provas serão impressas para o Enem. Os custos da aplicação superam R$ 500 milhões para os mais de 5 milhões de participantes confirmados na edição.

No fim do processo, quem fez o exame pleiteia uma vaga por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), pelo qual as universidades de todo o País oferecem suas vagas. Com sua pontuação em mãos, o aluno escolhe o curso e a universidade; se tiver o total necessário, está dentro.

O que muda no Enem 2019?

Segundo o site do Enem, os alunos contaram neste ano com um novo sistema de inscrição que permitiu incluir uma foto. Os deficientes auditivos e visuais tiveram a opção de indicar no ato da inscrição o uso de um aparelho auditivo ou de implante coclear. Além disso, todos os alunos terão os lanches revistados no dia da prova, e no final dos cadernos de questões haverá espaço para rascunho da redação e cálculos.

Quando serão realizadas as provas?

Os testes serão aplicados nos dias 3 e 10 de novembro.

Quantas questões terão as provas no Enem 2019?

Haverá quatro provas objetivas com 45 questões cada uma sobre os seguintes temas: linguagens e códigos, ciências humanas, ciências da natureza e matemática. Além disso, os alunos deverão fazer uma redação argumentativa de, no máximo, 30 linhas sobre o tema que será proposto.

No dia 3 de novembro, serão aplicados os testes de linguagens e códigos, ciências humanas e a redação, com 5h30 de duração. No dia 10 de novembro, serão aplicados os testes de ciências da natureza e matemática, com 5h de duração.

Quando conseguirei acessar meu cartão de confirmação de inscrição?

Ele será disponibilizado em outubro e deve conter o número de inscrição do aluno, data, hora e local das provas, atendimento especializado (deficientes visuais, por exemplo) e/ou específico (como gestantes e lactantes), caso solicitado, e a opção de língua estrangeira. / Com Agência Brasil

Estadão
  • separator
  • comentários
publicidade