PUBLICIDADE

SP: manifestantes e PM entram em confronto no Morumbi

15 out 2015 12h17
| atualizado às 15h32
ver comentários
Publicidade
Confusão entre manifestantes e PMs em frente ao Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo (SP), nesta quinta-feira (15).
Confusão entre manifestantes e PMs em frente ao Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo (SP), nesta quinta-feira (15).
Foto: Futura Press

Um grupo de manifestantes entrou em confronto na tarde desta quinta-feira com policiais militares na frente do Palácio dos Bandeirantes onde funciona a sede do Governo do Estado de São Paulo. No local, professores e estudantes protestavam contra mudanças estruturais no sistema de ensino estadual.

Mascarados e vestindo roupas pretas, os vândalos depredaram a entrada para o palácio, chutaram portões e tentaram forçar a entrada com madeiras. Os manifestantes atiraram rojões e outros objetos contra os policiais que estavam do lado de dentro dos portões, que revidaram com bombas de efeito moral.

Confusão entre manifestantes e PMs em frente ao Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo (SP), nesta quinta-feira (15).
Confusão entre manifestantes e PMs em frente ao Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo (SP), nesta quinta-feira (15).
Foto: Futura Press
Confusão entre manifestantes e PMs em frente ao Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo (SP), nesta quinta-feira (15).
Confusão entre manifestantes e PMs em frente ao Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo (SP), nesta quinta-feira (15).
Foto: Futura Press
Confusão entre manifestantes e PMs em frente ao Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo (SP), nesta quinta-feira (15).
Confusão entre manifestantes e PMs em frente ao Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo (SP), nesta quinta-feira (15).
Foto: Futura Press

Manifestação começou pacífica

Foto: Marivaldo Oliveira / Futura Press

Um grupo de alunos e professores iniciou, por volta das 10h, uma caminhada no Largo da Batata, em Pinheiros, zona oeste da capital, em protesto contra a reforma estrutural no ensino estadual. A Secretaria da Educação pretende implantar, no início de 2016, escolas com um dos três ciclos do ensino básico (anos iniciais – do 1º ao 5º e finais – do 6º ao 9º), do ensino fundamental e médio. Hoje, muitas escolas têm os três ciclos juntos. Com essa medida, unidades com baixa demanda devem ser fechadas.

Foto: André Lucas Almeida / Futura Press

Os manifestantes saíram em caminhada pela Avenida Faria Lima, Marginal Pinheiros (foi interditada uma pista) e seguiram em direção ao Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista, no Morumbi. A marcha, de cerca de 5 quilômetros, ocorreu ao som de baterias improvisadas em latas de óleo, de tamborins e outros instrumentos musicais.

Foto: Marivaldo Oliveira / Futura Press

O vice-presidente da União Municipal dos Estudantes Secundaristas (Umes), Tiago Cesar dos Santos, 18 anos, justificou o ato como uma forma de protestar contra a reorganização do ensino e a política de corte de professores. “A realidade que temos é uma escola sucateada, superlotada, que parece um cárcere, com falta de professores. Com essa política, está previsto o fechamento de mais de mil escolas”. Além disso, ele lembrou que mais de 20 mil professores estão correndo o risco de ser demitidos, entre outros funcionários.

Foto: Newton Menezes / Futura Press

O professor afastado Caio Desorce disse que “o governador declarou guerra à educação pública. Mas o que a gente precisa é de mais verba, mas escolas, de menos alunos por sala de aula”.

Foto: André Lucas Almeida / Futura Press

O grupo espera ser recebido por um porta-voz do Palácio dos Bandeirantes.

Agência Brasil Agência Brasil
Publicidade
Publicidade