Além de erro nas notas, Enem registra falhas em edições anteriores; veja casos

Ministro Abraham Weintraub chegou a dizer que essa foi 'a melhor edição da história do exame'; um dos casos de maior repercussão foi o vazamento revelado em 2009, pelo 'Estado'

20 jan 2020
12h52
atualizado às 13h04
  • separator
  • 0
  • comentários

BRASÍLIA - Além do erro nas notas identificados no fim de semana, a gestão da prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) acumula falhas e polêmicas em edições anteriores.

Um dos casos de maior repercussão foi o vazamento do teste em 2009, revelado pelo Estado, que forçou o Ministério da Educação (MEC) a adiar a prova dias antes da data marcada.

Em diversas edições, fotos de provas foram publicadas nas redes sociais durante a execução do exame. O MEC chegou a anular os testes de alunos que foram identificados como "vazadores", mas não chegou cancelar a edição por isso.

Antes de admitir falha nos gabaritos na prova feita no ano passado, o presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Educação, Abraham Weintraub, chegaram a comemorar a elaboração da prova, apontada por eles como a melhor edição da história do exame por não conter "viés ideológico".

"O tema já não foi aquele tema polêmico, lembra? A linguagem 'não-sei-de-quem'", disse o presidente em novembro do ano passado, em referência à prova feita em 2018, que cobrava uma questão de interpretação de texto sobre, segundo o enunciado, o "'dialeto secreto' de gays e travestis".

O desempenho no Enem é critério para concorrer no Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que oferece 237 mil vagas em universidades federais em todo o País. Apesar da falha em gabaritos, o período de inscrições foi mantido: vai de terça-feira, 21, a sexta-feira, 24.

Até a manhã de sábado, 18, o MEC e o Inep não sabiam informar quantas pessoas poderiam ter sido atingidas, mas admitiram o erro em ao menos quatro provas de Viçosa, em Minas Gerais. O governo não descartou que as falhas podem ter ocorrido em outros Estados e afirmou que investiga o caso.

Abaixo, relembre erros e polêmicas de edições anteriores do Enem

  • 2009

Um dos casos de maior impacto para os estudantes ocorreu em 2009, no ano em que o Enem passou a valer como vestibular. O Estado revelou à época que a prova vazou, levando o Ministério da Educação a cancelar numa quinta-feira o teste que seria aplicado naquele fim de semana.

  • 2010

Por uma falha na impressão, alunos que faziam as provas em cadernos amarelos foram surpreendidos pela falta ou repetição de questões. Havia também problemas em gabaritos. Os estudantes que receberam a prova com falhas tiveram de repetir o exame. No mesmo ano vazaram informações sigilosas e pessoais dos inscritos na prova.

  • 2011

Questões da prova foram adiantadas para alunos de um colégio de Fortaleza. Por esta falha, somente as provas de alunos desta instituição foram canceladas.

  • 2016

O governo teve de realizar uma segunda data de provas do Enem para estudantes que fariam o exame em escolas que estavam ocupadas por manifestantes. No total, 273.524 inscritos tiveram o direito de realizar o teste em dezembro, cerca de 1 mês após a data prevista.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade