PUBLICIDADE

'Afiadinho' no inglês e no espanhol, João Luiz Pedrosa aconselha: "Se tiverem a chance, estudem"

Influenciador foi um dos poucos brasileiros convidados para première de filme da Netflix e conversou com o elenco

6 fev 2024 - 05h00
Compartilhar
Exibir comentários
Resumo
O ex-BBB João Luiz Pedrosa fala sobre sua parceria com a Netflix, sua relação com os idiomas e o que pensa sobre a nova edição do reality show da Globo.
João Luiz Pedrosa, influenciador e apresentador
João Luiz Pedrosa, influenciador e apresentador
Foto: @instagram

Quem conhece João Luiz Pedrosa, participante do Big Brother Brasil 21, sabe que estudar é algo que faz parte de sua vida. Professor de Geografia, ele domina, além de sua língua natal, o espanhol e o inglês. Quanto a este último, ele revela ao Terra que só foi convencido a se dedicar com mais afinco por causa da carreira como influenciador digital.

"Minha mãe é professora de inglês. Só que durante a minha infância e adolescência, como todo mundo, eu tive uma fase meio rebelde e falava: 'Ah, não vou estudar inglês, não vou fazer tudo o que você quer'. Hoje é bobo pensar nisso, né? Eu tinha uma professora ali. Eu tive acesso a uma escola legal e no ensino médio tínhamos que escolher um idioma para se aprofundar, então escolhi espanhol. Fiz três anos e depois, na faculdade, revisitei a língua em uma matéria aqui e ali", conta.

No mês passado, João Luiz brilhou na première de Lift: Roubo nas Alturas, da Netflix, em Nova York. O influenciador foi um dos poucos brasileiros convidados para o evento, e o inglês, antes renegado, foi essencial para conseguir conversar com o elenco do longa-metragem, que mistura comédia e ação. 

A habilidade com três idiomas, inclusive, é encarada pelo influenciador como um diferencial. 

"Se você pega as pessoas hoje no Brasil, a gente tem menos de 10% da população que fala mais de um idioma. Dentro do meu trabalho, eu enxergo isso enquanto um diferencial", analisa. "E deixo a dica para todos: se tiverem a chance de estudar outra língua, estudem, porque isso vai te diferenciar em qualquer ambiente de trabalho". 

João Luiz detalhou sua relação com idiomas e carreira em um bate-papo com o Terra. Confira a seguir a conversa na íntegra.

João Luiz Pedrosa e Úrsula Corberó, de Lift: Roubo nas Alturas
João Luiz Pedrosa e Úrsula Corberó, de Lift: Roubo nas Alturas
Foto: @instagram

Como chegou o convite para a premiére de Lift: Roubo nas Alturas?

Eu tenho uma relação com a Netflix que é muito legal, e que já vem acontecendo há um tempo. Meu primeiro contato com a marca foi na PerifaCon, que acontece no mesmo modelo da CCXP, só que dentro da periferia. Nessa ocasião, eu apresentei um painel falando sobre a nova temporada de Sintonia, que é uma das séries brasileiras que mais têm audiência dentro do público jovem e dentro do público da periferia também. A partir disso, a gente começou a estabelecer uma relação muito legal. Na própria CCXP de 2023, eles também me chamaram para colaborar na divulgação de Rebel Moon, que é um filme do Zack Snyder, e eu pude conversar um pouco com os atores. Enfim, depois veio o convite para ir para Nova York, o que foi maravilhoso.

Você recebeu algum tipo de briefing ou roteiro para o projeto de Lift?

Não, me deram total autonomia. Foi muito massa, porque são os atores de Hollywood, são as pessoas que a gente vê na televisão... É surreal. Foi algo que foi muito importante essa colaboração. É bacana estar nesses lugares e poder participar desses eventos, desse tipo de evento, porrque mostra também uma certa relevância do que você quer e do que você também projeta para o futuro.

João Luiz Pedrosa, influenciador e apresentador
João Luiz Pedrosa, influenciador e apresentador
Foto: @instagram

Camilla de Lucas também estava por lá, certo?

Sim! Fomos juntos. Estreou o filme dela na Netflix agora, no final do ano passado, um filme que tem a Giovanna Lancelotti. Acho que o convite que chegou pra mim, também chegou pra ela, e aí a gente foi viver esse momento junto. É muito legal também poder estar junto dela nesses lugares e dentro desses espaços, porque mostra também que as pessoas de alguma maneira acreditam na gente e no nosso trabalho. E se a gente recebe esses convites para esses eventos, mostra que a gente consegue fazer um bom trabalho e desempenhar uma boa função dentro desses lugares. Foi muito legal compartilhar disso com ela. É muito gostoso, depois de tanto tempo de amizade.

Me fala sobre idiomas? Notei que você domina muito bem o espanhol e o inglês...

É engraçado falar disso, sabe por quê? Minha mãe é professora de inglês! Só que durante a minha infância e adolescência, como todo mundo, eu tive uma fase meio rebelde e falava: 'Ah, não vou estudar inglês, não vou fazer tudo que você quer'. Hoje é bobo pensar nisso, né? Eu tinha uma professora ali, eu tive acesso a uma escola legal. No ensino médio a gente tinha que escolher um idioma para se aprofundar, então escolhi espanhol. Fiz três anos e depois, na faculdade, revisei a língua em uma matéria aqui e ali. Fiquei afiadinho no espanhol.

E o inglês, quando veio a necessidade?

Querendo ou não, o inglês é a língua que bate primeiro, a mais falada. No momento em que eu fiquei afiadinho no espanhol, eu falei: 'Putz, eu preciso começar a voltar a entender um pouco mais de inglês'. Era algo que eu tinha noção, porque eu estudava na escola e tudo que a gente consome é muito internacional. Eu vejo filmes, música, enfim, a maioria das séries que a gente assiste é tudo em inglês. Então, você vai tendo essa noção da coisa. E aí eu comecei a estudar. Acho que tem um ano e meio que eu comecei a estudar com afinco mesmo, todos os dias, porque eu percebi que é uma coisa que faz sentido no meu trabalho. [Depois do BBB], eu falei: 'Putz, isso é um diferencial no meu trabalho agora'. Você pega as pessoas hoje no Brasil, a gente tem menos de 10% da população que fala mais de um idioma. Dentro do meu trabalho, eu enxergo isso enquanto um diferencial. E aí deixo de dica pra todo mundo, tipo... Se tiver a chance de estudar outra língua, estude, porque isso vai te diferenciar em qualquer ambiente de trabalho. Você pode nem ter a qualificação, mas se você fala outra língua, isso já vira uma chavinha, assim, sabe? E aí, acho que foi muito isso. Tipo, vou estudando, vou vendo o que eu posso fazer, o que isso impacta e pode impactar no meu trabalho, e faço.

João Luiz Pedrosa, influenciador e apresentador
João Luiz Pedrosa, influenciador e apresentador
Foto: @instagram

E quanto a BBB24, tem acompanhado o reality?

Foquinha e eu assistimos ao 'Big Day' juntos é uma tradição que a gente tem. Inclusive, a gente vai fazer várias coisas legais esse ano. Eu e ela vamos fazer uma produção de conteúdo focada nisso, pra comentar o BBB, mas de uma outra maneira, de uma forma que a internet gosta que a gente comente, transmitindo nossos bate-papos, enfim. Mas devido à viagem para Netflix não consegui acompanhar muito. O programa começou num dia e no outro já estava indo para a première. Então, estou reassistindo o programa, estou um pouco atrasado ainda.

Já tem um favorito?

Ainda não, é muito cedo, principalmente porque não vi tudo, mas eu sei que tem muita gente na casa: três Vanessas, cinco Giovannas, catorzes Lucas... É quase uma chamada da escola.

O que está achando das mudanças no jogo?

Eu vi que o programa está acelerado, né? É Prova do Líder toda hora, uma vibe batidão que geralmente acontece no final do programa, só que estão fazendo no começo. Gostei.

Teve até gente desistente. Como ex-BBB, o pré-confinamento é tão difícil assim?

Olha, meu caso é excepcional. A minha edição é uma edição da pandemia. Então, o meu pré-confinamento não era nada diferente do que eu vivia na minha casa. A única questão é que, tipo, eu não tinha celular, entendeu? Então, tipo, eu já tava meio que acostumado a ficar em casa, a ficar sozinho. Mas eu acho que o pré-confinamento, esse momento do hotel, é um momento de muita reflexão, é um momento que pode te dar muito medo. Eu não pensei em momento algum em desistir, largar. Mas eu entendo essas pessoas que no pré-confinamento caem fora.

E como é o pré-confinamento, afinal? Tem alguma coisa para distrair?

É, a gente tem coisas que podem nos distrair, mas é isso… Eu não sei se eu posso te contar o que são essas coisas. Eu sei que tem gente que conta nas redes sociais aí, mas eu não sei se eu posso te falar o que é. Então deixa pra lá. Mas no meu confinamento eu tomava uns três banhos por dia, fazia cinco skin care, enfim, gastava meu tempo.

João Luiz Pedrosa, influenciador e apresentador
João Luiz Pedrosa, influenciador e apresentador
Foto: @instagram

E para 2024, o que vem por aí?

Vamos fazer conteúdo de BBB, vai ser no canal dela [Foquinha] no YouTube e vai ter cortes e conteúdos nas minhas redes sociais. Também tenho investido cada vez mais na minha carreira de apresentador, tenho planos junto à Netflix... Terão muitas coisas legais. Lanço também esse ano, provavelmente, uma websérie onde conto histórias que foram esquecidas pelo entretenimento e estou no processo de escrita do meu segundo livro.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade