Abordagem holística é tendência em graduações da área de Saúde

Atendimento integral e humanizado ganha um impulso com novas tecnologias nos cursos

8 out 2019
09h11
  • separator
  • 0
  • comentários

Hoje considerado essencial nos cursos de Saúde, o atendimento integral e humanizado ganha um impulso com novas tecnologias. Para que ambos se complementem, ao invés de se excluir, as faculdades precisam preparar alunos com base em princípios éticos, capacidade de diferenciar informações verdadeiras e falsas e muito conhecimento da realidade em que vão atuar.

Segundo o coordenador do curso de Medicina da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, José Eduardo Lutaif Dolci, o médico atual tende a ser generalista. "O profissional deve ter uma visão ampla da Medicina, até porque transita em vários ambientes", explica.

"Deve estar apto para atuar em situações de complexidades diversas, sempre tendo uma visão próxima ao paciente, sendo capaz de transmitir a segurança de um tratamento humanístico e tecnicamente impecável." O professor destaca que o aluno deve ser capaz de lidar com as informações disponíveis na internet. "A democratização das informações é clara, e o papel da faculdade e do egresso é fazer uma intermediação entre o que é certo e errado", afirma.

A área de Biomedicina é uma das mais impactadas pelo desenvolvimento da tecnologia. Coordenador do curso da Anhembi Morumbi, Ramon Bossardi Ramos afirma que o profissional da área precisa estar sempre na ponta da inovação. Atualmente, uma das tendências mais fortes é o estudo da biologia molecular. "É onde a análise do DNA, por exemplo, vai influenciar em um diagnóstico mais preciso e, portanto, de uma medicina mais personalizada", afirma Ramon. Estar em constante atualização, no entanto, não significa deixar de lado a empatia. "Em Saúde temos de pensar sempre no paciente, ou seja, em como esse exame mais desenvolvido pode melhorar a sua vida", diz.

A recente popularização de blogs, sites e influencers que dão dicas sobre atividades físicas não fez a formação em Educação Física perder importância - pelo contrário. "Quanto mais informação a população tem, mais percebe a importância de ter ao seu lado um profissional capacitado", afirma o coordenador do curso da Uninove, Alessandro Freitas. Para ele, o acesso aos fatos e às novas tecnologias beneficia o profissional da área, mas exige que se mantenha atualizado.

Depoimento: Andressa Helena Silva, aluna de Odontologia na Universidade Metodista

"Pensei em fazer Direito, mas ao mesmo tempo gostava muito das matérias da área de Saúde. Estudei em uma escola técnica, e ela oferecia feiras em que profissionais falavam sobre suas áreas. Em uma, conheci um pouco mais sobre Odontologia. Fiz um ano de cursinho. Na época, estava pensando em Medicina. Vi outra palestra sobre Odontologia, e foi aí que surgiu o interesse real em entender como a profissão funcionava na prática. Descobri os vários ramos.

Foi o momento de procurar a faculdade. É muito importante visitar a instituição. Uma coisa que me fez escolher a Metodista foi que os alunos têm estágio em clínicas do primeiro ao último ano, de maneira individual. Fora isso, considerei a organização da faculdade, o câmpus, a oferta de cursos extracurriculares, a existência de laboratórios e salas multimídia. Os professores também são altamente capacitados, e é muito importante avaliar isso também.

O primeiro ano tem aulas mais gerais, no segundo surgem as específicas e a parte laboratorial, que prepara o aluno para entrar em contato com paciente. A partir do terceiro ano, existem estágios, que nós chamamos de clínicas. Na grade de Odontologia, também recebemos uma formação mais social, que inclui aulas de Sociologia, Ética e Libras."

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade