PUBLICIDADE

115 anos de Carmen Miranda: veja sua história e suas principais marchinhas

Saiba mais sobre a história e as principais marchinhas de carnaval interpretadas por Carmen Miranda

9 fev 2024 - 11h55
Compartilhar
Exibir comentários

As marchinhas de Carnaval foram, por muito tempo, as trilhas sonoras das festas carnavalescas espalhadas pelo Brasil. Ainda hoje, algumas são tocadas nos blocos de rua, como "Cachaça" e "Mamãe eu quero".

Uma mulher que se destacou, na época de sucesso das Marchinhas, foi Carmen Miranda, uma luso-brasileira, famosa pelas vestimentas extravagantes e pela presença de palco. Sua fama não se limitou ao Brasil, foi ícone de Hollywood e se tornou a primeira sul-americana a ganhar uma estrela na Calçada da Fama.

Se estivesse viva, hoje, dia 9 de fevereiro, às vésperas do Carnaval, seria o seu aniversário de 115 anos. Veja a sua história e contribuição para a cultura brasileira com o rádio e as marchinhas de Carnaval. 

carmen-miranda-marchinhas-carnaval
carmen-miranda-marchinhas-carnaval
Foto: Canva / Brasil Escola

História e sucesso de Carmen Miranda

A cantora nasceu em Portugal, em 1909, mas veio para o Brasil com apenas um ano. Passando a adolescência na Lapa, no Rio de Janeiro, se aproximou do estilo de vida da cidade, polo cultural brasileiro na época, e da indústria musical. Em 1930, se tornou a primeira mulher a assinar um contrato com uma rádio no país e fez sucesso com a marcha-canção "Para você gostar de mim".

Confira a letra desta música:

Taí'

Eu fiz tudo pra você gostar de mim

Ó meu bem, faz assim comigo não

Você tem, você tem que me dar seu coração

Taí'

Eu fiz tudo pra você gostar de mim

Ó meu bem, não faz assim comigo, não

Você tem, você tem que me dar seu coração

Meu amor, não posso esquecer

Se dá alegria faz também sofrer

A minha vida foi sempre assim

Só chorando as mágoas que não tem fim

Taí'

Eu fiz tudo pra você gostar de mim

Ó meu bem, não faz assim comigo, não em

Você tem, você tem que me dar seu coração

Taí'

Eu fiz tudo pra você gostar de mim

Ó meu bem, não faz assim comigo, não

Você tem, você tem, tem que me dar seu coração

Essa história de gostar de alguém

Já é mania que as pessoas tem

Se me ajudasse nosso senhor

Eu não pensaria mais no amor

Carmen Miranda e o contexto político

Na década de 30, o Brasil também assistiu à ascensão de outra figura, bem diferente de Carmen Miranda, Getúlio Vargas. Mas, mesmo sendo diferentes, seus caminhos convergiram.

 Em sua pesquisa, intitulada de "Carmen Miranda e nacionalismo na década de 30", Káritha Bernardo de Macedo, diz sobre a figura de Carmen Miranda:

Contudo, era festejada não apenas por seu talento cativante, mas também porque era um outdoor ambulante da pro-posta de mulher brasileira e de nação unida que se queria transmitir.

Getúlio, com sua proposta política, tinha como objetivo uniformizar as imagens que representavam o Brasil. Para isso, utilizou o meio de comunicação mais comum da época, o rádio, setor que também contribuiu muito para a carreira de Carmen, antes dela fazer sucesso em filmes.

Dessa forma, ela se tornou parte do projeto de nação que se estabelecia no período ditatorial de Getúlio Vargas. Se tornando uma figura de abrangência nacional e, posteriormente, mundial.

Inclusive, quando ela voltou dos Estados Unidos, realizou um show, a convite da primeira-dama, Darcy Vargas; para o alto escalão do governo, no Cassino da Urca. Mas, esta apresentação não terminou bem, segundo Gabriel Veppo, em sua pesquisa "Carmen Miranda, o Estado Novo e o Discurso Verdadeiro", a artista saiu chorando do palco, após a 4ª música.

Isso teria ocorrido devido à frieza da plateia, consequência das diferentes visões de mundo que se encontravam ali. Os membros do Estado Novo, eram nacionalistas ufanistas, enquanto Carmen Miranda, vinda dos Estado Unidos, começou a apresentação dizendo "Good night, people".

 Marchinhas mais famosas de Carmen Miranda

Veja uma lista com as Marchinhas de Carnaval interpretadas por Carmen Miranda que mais fizeram sucesso:

  • Pra você gostar de mim (Taí) (Joubert de Carvalho)
  • Balancê (Braguinha/Alberto Ribeiro)
  • O que é que a baiana tem (Dorival Caymmi)
  • Mamãe eu quero (Vicente Paiva e Jararaca)
  • Camisa listrada (Assis Valente)
  • Tico-tico no fubá (Miguel Lima/Zequinha de Abreu)
  • No tabuleiro da baiana (Ary Barroso)
  • Adeus batucada (Synval Silva)
  • O tic-tac do meu coração (Alcyr Pires Vermelho/Walfrido Silva)
  • Cachorro vira-lata (Alberto Ribeiro)
  • Touradas em Madrid (Braguinha/Alberto Ribeiro)
  • E o mundo não se acabou (Assis Valente)
  • Como vaes você (Ary Barroso)
  • Quando eu penso na Bahia (Ary Barroso)
  • Chica chica boom chic (Gordon Mack e Warren Harry) - música do filme Uma noite no Rio

Por Tiago Vechi

Jornalista

Brasil Escola
Compartilhar
Publicidade
Publicidade