4 eventos ao vivo

Nova tecnologia promete revolucionar o tratamento do diabetes

Novo "sensor tatuagem" desenvolvido na Universidade de San Diego monitora glicose sem necessidade de picadas

24 abr 2018
15h53
atualizado às 19h40
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O diabetes é uma condição que afeta milhões de pessoas em todo o mundo. Somente no Brasil, estima-se que mais de 9 milhões de pessoas tenham a doença, sendo que sua prevalência só tende a aumentar.  Segundo a consultoria GlobalData, a indústria farmacêutica no Brasil deve atingir os 48 bilhões de dólares até 2020 - um crescimento médio de 8,5% ao ano, motivado inclusive pela alta incidência de doenças crônicas como o próprio diabetes.

No entanto, a Universidade de San Diego, nos Estados Unidos, identificou que grande parte dos portadores de diabetes não faz um monitoramento correto e contínuo dos níveis de glicemia no sangue - especialmente devido à grande inconveniência de picar os dedos para efetuar a medição diversas vezes ao dia.

No entanto, esse incômodo pode estar com os dias contados. Isso porque o departamento de Engenharia dessa mesma universidade criou um aparelho capaz de medir os níveis de glicemia sem nenhum tipo de picada. O aparelho funciona como uma espécie de "tatuagem temporária" aplicada na pele: o paciente diabético apenas deve encostá-lo no braço, aplicar água, e remover o papel que contém o aparelho. A partir daí, é possível ter uma medição precisa dos níveis de glicose no sangue.

Essa novidade vem para revolucionar o tratamento da doença. Segundo Edward Chao, professor na escola de medicina da UCSD, a adesão a tratamentos de doenças crônicas é tradicionalmente baixa - e a diabetes não é exceção. O monitoramento é importante para a gestão da doença, por permitir acompanhar episódios de hipo e hiperglicemia - que podem causar mal-estar e até mesmo ser fatais.

Intervenção dietética pode ajudar

Além do monitoramento contínuo e ajustes dos níveis de medicação, diversos estudos vêm demonstrando a eficiência de uma dieta baixa em carboidratos (dieta low-carb) para tratamento da diabetes. As dietas low-carb contam com a redução no consumo de carboidratos para facilitar o controle da glicemia no sangue - e têm resultados expressivos mostrados tanto clinicamente quanto em laboratório.

No entanto, é importante ressaltar a necessidade de acompanhamento profissional para a gestão adequada dessa doença - até mesmo porque a dieta correta pode reduzir drasticamente a necessidade de medicamentos, o que apenas um profissional é capaz de aferir.

Fontes:

  1. https://www.scielosp.org/article/ress/2015.v24n2/305-314/pt/
  2. https://setorsaude.com.br/mercado-farmaceutico-brasileiro-deve-atingir-us-48-bilhoes-em-2020/
  3. http://ucsdnews.ucsd.edu/pressrelease/clinical_trial_tests_tattoo_sensor_as_needleless_glucose_monitor_for_diabet
  4. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/27494448


Website: https://www.senhortanquinho.com/dieta-low-carb-variacoes-qual-melhor-opcao/

Veja também:

China responderá a sanções dos EUA
DINO Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade