PUBLICIDADE

Faixa de areia da praia de Balneário Camboriú será triplicada

20 dez 2019 12h42
ver comentários
Publicidade

Uma obra esperada há pelo menos 20 anos em Balneário Camboriú está prestes a começar: a recuperação da faixa de areia da Praia Central. Com esta obra, a faixa de areia passará dos atuais 25 metros, em média, para 70 metros, permitindo maior proteção da orla contra avanços da maré e implantação de uma infraestrutura mais moderna que revitalize uma das praias mais badaladas do Brasil.

Foto: Celso Peixoto / DINO

"Esta é uma obra marcante para nossa cidade, uma obra esperada há muito, primeiro no sentido de proteção da praia, depois como impulsionadora de melhorias no nosso principal cartão-postal: a Praia Central. Esta recuperação de faixa de areia devolve à Praia Central as condições que ela tinha originalmente e proporciona a oportunidade de oferecermos, num segundo momento, equipamentos que melhorarão em muito a qualidade da praia para o morador e o turista", declarou o prefeito Fabrício Oliveira no lançamento do edital.

Segundo a engenheira civil Daysi Nass dos Santos, coordenadora técnica do projeto de recuperação da praia, o projeto envolveu empresas nacionais e internacionais nos estudos da morfologia costeira, hidrológicos, ambientais da fauna e flora marinha, e de capacidade de carga, entre outros.

Para a recuperação dos 5,8 Km da Praia Central, o volume de areia estimado é de 2,16 milhões de metros cúbicos, que serão trazidos por draga de uma jazida a 15 Km da costa onde foi encontrada areia com granulometria similar a existente na praia. O valor da Licitação é de R$ 85 milhões, garantidos através de empréstimo junto ao Banco do Brasil, que será pago com recursos de outorgas.

Para o presidente do Sinduscom de Balneário Camboriú, Nelson Nitz, a recuperação da faixa de areia e a posterior reurbanização da orla dará uma nova dinâmica para a Praia Central e beneficiará toda a cidade na medida em que atrai novas oportunidades de negócios em muitos setores importantes para a cidade, como o do Turismo e o da Construção Civil.

O secretário de Planejamento e vice-prefeito de Balneário Camboriú, Carlos Humberto Metzner Silva, considera, também, que a obra de recuperação representa uma proteção importante para a praia frente a episódios de maré cheia e ressaca que ao longo das décadas diminuíram a faixa de areia em toda orla. "Na Barra Sul, já não existe faixa de areia. O mar engoliu a praia, e lá já houve um aterro para tentar resolver o problema na década de 1990", explicou.

A previsão de conclusão da obra é 9 meses, dos quais 6 a 7 serão a etapa de aterro propriamente dita. Durante as obras, apenas 500 metros da praia estarão bloqueados. O preenchimento é feito num canteiro de obras móvel onde, enquanto a praia está sendo ampliada, o restante dela fica livre para uso, dentro de critérios de segurança previamente planejados. A medida que o avanço da obra ocorra, a parte que recebeu aterro será entregue pronta, liberada ao uso imediato, enquanto a obra segue seu ritmo.

Posteriormente à conclusão da obra na faixa de areia, virá a reurbanização da orla, projeto que já está sendo desenvolvido pela prefeitura.

DINO Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra
Publicidade
Publicidade