0

Como é a preparação para virar paraquedista profissional?

2 jul 2020
01h24
atualizado às 01h28
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Viver de esporte é o sonho de muita gente. Para quem tem o paraquedismo como hobby, esse pode até parecer um sonho impossível, mas é perfeitamente realizável.

Foto: DINO / DINO

Cursos ministrados por escolas especializadas preparam alunos para saltar sozinhos e oferecem a possibilidade de profissionalização no esporte. É a oportunidade de quem é fascinado pelo paraquedismo ganhar dinheiro com sua paixão.

De acordo com Humberto Siqueira Nogueira, vencedor do Campeonato Brasileiro de Freefly em 2015, a ocupação de paraquedista profissional exige muita preparação técnica e várias horas de prática para aprimoramento.

Carreira de instrutor é opção para quem quer viver de paraquedismo
Dentre as opções para seguir no ramo, uma das mais procuradas e promissoras é a de instrutor ou coachee de paraquedismo. Esta é a carreira ideal para quem gostaria de ajudar outras pessoas a aprender a saltar.

O primeiro requisito para virar instrutor de paraquedismo é já ter saltado pelo menos uma vez de maneira tradicional, junto a um acompanhante. É nesta primeira experiência que o praticante descobre se existe talento e aptidão para a profissão.

Ao definir que deseja seguir carreira, o aluno deve se matricular em cursos de paraquedismo oferecidos por escolas indicadas para profissionais.

Profissionalização ocorre em dois cursos distintos
Denominado Accelerated Free Fall, o curso de Queda Livre Acelerada ministrado em diversas escolas no Brasil foi criado nos Estados Unidos. Esta é a primeira parte da profissionalização, com 10 horas de aulas teóricas e 7 níveis de preparação prática.

Nas aulas teóricas, o futuro profissional aprende sobre o funcionamento do equipamento do paraquedas, as posições indicadas para queda livre, os procedimentos de segurança para casos de emergência e os mecanismos de acionamento e pilotagem do equipamento.

É o momento também de fazer simulações com o equipamento suspenso para ganhar confiança. Posteriormente, a parte prática consiste em treinamentos de aproximadamente 30 minutos nos quais que o aluno realiza saltos e recebe avaliação.

Já a segunda etapa da profissionalização ocorre no curso Basic Body Flight (voo corporal básico), no qual o futuro profissional tem a chance de aprimorar suas técnicas de voo. Neste segundo curso, por exemplo, o aluno aprende como utilizar dois ou mais paraquedas durante o salto.

Assim que o Basic Body Flight é concluído, o paraquedista está apto para trabalhar de forma profissional, podendo realizar saltos desacompanhado e instruir novos alunos.



Website: https://www.flickr.com/photos/humberto-siqueira-nogueira/

Veja também:

Ciclista cai e fica ferido na Avenida Brasil em Cascavel
DINO Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade