2 eventos ao vivo

Aumenta a procura de escritórios de advocacia de médio porte pelas grandes empresas

5 fev 2020
13h55
  • separator
  • 0
  • comentários

O Brasil constitui um dos maiores mercados jurídicos do mundo. Segundo o relatório Justiça em Números 2019 elaborado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), no ano de 2018 ingressaram 28,1 milhões processos no Judiciário Brasileiro, ao passo que foram finalizados 31,9 milhões deles. Foi a primeira vez, em dez anos, que todos os segmentos de Justiça conseguiram obter um Índice de Atendimento à Demanda maior que 100%, ou seja, com mais processos baixados do que ingressados.

Foto: Designed by Pressfoto / Freepik / DINO

Por outro lado, consta que somente 29% de todos os processos que tramitaram no período foram solucionados.

Sobre os tempos médios da Justiça, foram apresentados os seguintes números:

  • Entre a fase inicial até a sentença: 2 anos e 2 meses
  • Entre a fase inicial até a baixa: 3 anos
  • Tempo dos processos pendentes: 4 anos e 10 meses

Se os números da Justiça Brasileira impressionam, de outro lado, o da prestação de serviços jurídicos também.

Segundo a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), existem atualmente cerca de 1,1 milhão de advogados no país. Somente na Seccional paulista da OAB, há um contingente que ultrapassa 350 mil advogados ao lado de 15 mil sociedades inscritas. 

O foco deste conteúdo, no entanto, é tratar sobre os hábitos de consumo dos executivos jurídicos que atuam em empresas de grande porte.

BOM ATENDIMENTO, AGILIDADE E EXPERTISE NOS TEMAS DEMANDADOS

De maneira resumida, esses são os principais aspectos que os executivos buscam em um parceiro. No entanto, para escolher uma banca, eles também analisam outros fatores que, segundo relatam, fazem muita diferença na qualidade final do serviço prestado. 

O aspecto administrativo do escritório é algo muito valorizado. Isso se refere tanto a atuação multidisciplinar de profissionais de diversas especialidades, quanto ao uso de sistemas de gestão, que facilitam o controle dos serviços prestados.

Outro ponto que analisam é a existência da área de Controladoria Jurídica, que assegura a qualidade operacional das rotinas legais e libera o advogado para atividades intelectuais e sofisticadas.

Em paralelo, o uso de tecnologias é algo fundamental para estes executivos, que necessitam de uma atuação jurídica baseada em dados para a tomada de decisões assertivas.

Por fim, a presença de um RH bem estruturado junto à banca é algo vital na visão dos executivos, que compreendem que a retenção de talentos é algo que impacta diretamente no atendimento e resultados entregues.

A qualificação técnica dos advogados com certeza ainda continua sendo um fator primordial para um serviço jurídico de qualidade. No entanto, ao aliar a expertise jurídica da banca, ao suporte de áreas administrativas e à tecnologia, os resultados se tornam substancialmente melhores.

ESCRITÓRIOS DE ADVOCACIA DE MÉDIO PORTE ESTÃO EM ALTA

Em 2014, nos EUA, os escritórios de advocacia de médio porte foram responsáveis por lidar com 29% das questões de litígio das empresas listadas na Fortune 50. Em 2018, este percentual saltou para 36%. Os dados são do Relatório 2019: uma visão sobre os escritórios de advocacia de médio porte, elaborado pela Thomson Reuters. O estudo indica também que este perfil de escritório teve um aumento na taxa média trabalhada de 2,9%. Em paralelo, verificou-se um cenário conservador em relação ao aumento da banca - apenas 0,02%; ao passo que a produtividade destas equipes se elevou em 0,03%.

Então, o que vem impulsionando o crescimento dos escritórios de advocacia de médio porte junto às grandes empresas?

Para Caio Françoso Petito, CEO e Coordenador de M&A do LG&P e Fernando Cesar Lopes Gonçales, Sócio e Coordenador Jurídico do escritório - que atualmente conta com 56 colaboradores, são vários aspectos. A seguir, abordaremos alguns deles.

  • Escritórios menores são mais econômicos

A estrutura física menos onerosa e as equipes enxutas são fatores que contribuem para que as bancas compactas sejam mais competitivas no que tange a custos. Isso é um ponto que tem atraído o olhar das grandes empresas, que também têm buscado meios de enxugarem seu orçamento. 

  • Uso da tecnologia e o aumento da capacidade produtiva

Graças à tecnologia, a capacidade produtiva de um escritório de advocacia não está mais 100% atrelada ao número de colaboradores. O uso de sistemas e ferramentas de TI melhoraram muito a eficiência da operação jurídica, possibilitando que escritórios menores não fiquem em desvantagem em relação a grandes bancas em termos de capacidade produtiva.

  • Maior facilidade e rapidez para se adequar ao novo

O mercado jurídico vem atravessando diversas e profundas transformações. Neste aspecto, os escritórios de advocacia de médio porte têm uma excelente vantagem em relação aos grandes: é mais fácil e rápido conscientizar uma equipe menor sobre novos modelos de trabalho, do que fazer isso em um grupo maior de pessoas. "A rapidez com que os escritórios de advocacia de médio porte se adequam ao novo tem sido decisiva para sua expansão no mercado", afirmam Caio e Fernando.

  • Atendimento personalizado

Os executivos buscam parceiros que entendam a fundo sobre o business da organização, fato que demanda maior disponibilidade e até mesmo humildade dos advogados para conhecer o dia a dia operacional da empresa - que muitas vezes significa vivenciar o "chão de fábrica" do cliente. "É imergindo na operação que o advogado entende as dores da empresa e as oportunidades a serem exploradas." - conclui Caio. 

  • Relevância da conta

Uma queixa recorrente dos executivos jurídicos em relação aos grandes escritórios se deve ao fato de se sentirem "mais um" cliente da instituição. Em um escritório menor, os clientes acabam recebendo mais atenção e isso faz com que se sintam mais ouvidos e atendidos.

Os executivos jurídicos afirmam que não existe grife e nem tamanho. Se antes a reputação e o nome do escritório eram primordiais, hoje a experiência do cliente como um todo - do atendimento à entrega dos resultados - é o que fala mais alto.

O que as grandes empresas buscam em um parceiro jurídico resume-se a um ótimo atendimento, agilidade nas respostas, expertise nos temas demandados e comprometimento com os resultados.

Os escritórios que melhor performarem nestes requisitos estarão aptos para atender clientes de qualquer porte.



Website: https://www.lopesgoncales.com.br/

DINO Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade