PUBLICIDADE

Ministério diz que vacinas da Janssen não chegam mais na 3ª

Pasta voltou atrás na informação de sábado e afirmou que aguarda chegada ainda esta semana

14 jun 2021 14h23
| atualizado às 14h25
ver comentários
Publicidade

O Ministério da Saúde afirmou nesta segunda-feira que o lote de 3 milhões de doses da vacina contra covid-19 da Janssen, subsidiária da Johnson & Johnson, não chegará mais ao país na terça-feira, como estava previsto e foi anunciado pela pasta no sábado.

Fachada de sede da Janssen em Leiden, na Holanda
09/03/2021 REUTERS/Piroschka van de Wouw
Fachada de sede da Janssen em Leiden, na Holanda 09/03/2021 REUTERS/Piroschka van de Wouw
Foto: Reuters

Em comunicado nesta segunda, a pasta informou que aguarda "confirmação da data por parte do laboratório, mas a expectativa é de que as doses cheguem ainda esta semana ao país em três remessas", não mais em um lote só, como também havia sido anunciado inicialmente.

No sábado, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, havia dito que esse lote de imunizantes chegaria ao Brasil vindo dos Estados Unidos na terça-feira e que iria ser aplicado apenas nas capitais do país.

O ministro havia feito o anúncio após a agência reguladora dos Estados Unidos Food and Drugs Administration (FDA) autorizar a vinda das doses ao Brasil e ampliar a validade dos imunizantes de 27 de junho para 8 de agosto.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) deve avaliar nesta semana pedido da Janssen por uma prorrogação maior da validade das doses. Na semana passada, representantes da Anvisa e da Janssen já se reuniram para discutir o assunto.

A vacina da Janssen, que ao contrário da maioria dos imunizantes contra covid-19 é aplicada em dose única, já teve seu registro aprovado para uso emergencial pela Anvisa e o governo fechou acordo para comprar 38 milhões de doses. Contudo, até o momento, nenhum delas chegou ao país.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade