0

Brasil ultrapassa 70 mil mortes por covid-19

País registrou mais de 1,2 mil óbitos em 24h pelo 4º dia seguido

10 jul 2020
19h05
atualizado às 20h47
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O Brasil registrou mais 1.270 novos óbitos causados pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas, ultrapassando a marca de 70 mil mortes - sendo o segundo país do mundo a ter superado esse número, após os Estados Unidos. Segundo o levantamento feito pelos veículos de comunicação Estadão, G1, O Globo, Extra, Folha e UOL, foram 70.524 vidas perdidas pela covid-19. 

Já o Ministério da Saúde afirma que foram 1.214 mortes pelo novo coronavírus em um período de 24 horas nesta sexta-feira (10). Com o novo número, o país totalizou 70.398 vítimas, com uma taxa de letalidade de 3,9%. Este é o quarto dia seguido que o Brasil soma mais de 1,2 mil falecimentos diários.

A diferença entre os dados se dá desde que o governo Bolsonaro decidiu restringir o acesso a dados sobre a pandemia à imprensa, que se uniu para coletar junto às secretarias estaduais de Saúde e divulgar os números totais de mortos e contaminados.

Coveiros com roupa de proteção durante enterro de vítima da Covid-19 em cemitério Vila Formosa, em São Paulo
26/06/2020
REUTERS/Amanda Perobelli
Coveiros com roupa de proteção durante enterro de vítima da Covid-19 em cemitério Vila Formosa, em São Paulo 26/06/2020 REUTERS/Amanda Perobelli
Foto: Reuters

Ainda de acordo com o balanço do governo, existem 1.800.827 pessoas contaminadas com a covid-19, com um acrescimento de 45.048 contágios registrados nas últimas 24 horas. A taxa de incidência continua crescendo, passando de 835,5 para 856,9 por cada 100 mil habitantes. Já o índice de mortalidade é de 33,5 indivíduos por cada 100 mil pessoas.

O estado de São Paulo, epicentro da doença, contabilizou mais 324 mortes em um dia, acumulando 17.442 óbitos desde o início da pandemia. Com os novos números, o governador João Doria afirmou que a região começou a entrar no platô, o que significa uma estabilidade seguida da redução moderada dos contágios, mas estende a quarentena até 30 de julho. Hoje, inclusive, a Organização Mundial da Saúde (OMS) alertou que é pouco provável que o novo coronavírus seja eliminado.
 

 

Veja também:

Bolsonaro viraliza com uso e defesa polêmica da hidroxicloroquina
Ansa - Brasil   
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade