0

Brasil registra novo recorde diário de mortes por covid-19

O País registrou 3.869 óbitos nesta quarta-feira, segundo dados do Ministério da Saúde

31 mar 2021
18h24
atualizado às 20h18
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O Brasil renovou pelo segundo dia consecutivo seu recorde de mortes por covid-19 registradas em 24 horas, com mais 3.869 óbitos nesta quarta-feira, segundo dados do Ministério da Saúde, cuja contagem total de vítimas fatais da doença saltou para 321.515.

Na véspera, o País havia contabilizado 3.650 mortes em decorrência de covid-19 em apenas um dia.

 Corpo é sepultado no Cemitério da Vila Formosa, o maior da América Latina, na zona leste de São Paulo, neste sábado (20).
Corpo é sepultado no Cemitério da Vila Formosa, o maior da América Latina, na zona leste de São Paulo, neste sábado (20).
Foto: VILMAR BANNACH/PHOTOPRESS / Estadão Conteúdo

Além disso, também foram notificados nesta quarta 90.638 novos casos de coronavírus, com o total de infecções confirmadas no país avançando para 12.748.747, de acordo com o ministério.

Consórcio da imprensa

Segundo dados reunidos junto às secretarias estaduais de Saúde pelo consórcio formado por Estadão, G1, O Globo, Extra, Folha e UOL, o Brasil registrou 3.950 novas mortes por covid-19 nas últimas 24 horas. Em março, 66.868 morreram pelo novo coronavírus, 20.799 nos últimos sete dias.

A última semana foi a que mais acumulou óbitos em toda a pandemia. A marca também vale para o mês de março de 2021, o mais letal de todo o período. As mortes dos últimos 31 dias superaram a maior marca anterior, de julho, quando 32,9 mil pessoas morreram em decorrência da doença. O número de março deste ano é, portanto, mais que o dobro do pior momento da pandemia no ano passado.

A média móvel diária de óbitos ficou em 2.971 nesta quarta-feira. Essa média leva em consideração dados dos últimos sete dias e, na prática, soma os registros do período e divide por sete para entender a tendência da curva. Ela está acima de 2 mil desde o dia 17 de março e agora se aproxima das 3 mil vítimas diárias, o que coloca o Brasil com a maior média de todo o mundo no momento. Em toda a pandemia, os óbitos chegaram a 321.886.

O cenário é formado por uma piora considerável nos dados de Estados nas diferentes regiões. Onze Estados estão atualmente com a maior média diária de mortes de toda a pandemia: Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraíba, Santa Catarina, São Paulo e Tocantins. A maior média absoluta é observada em São Paulo, onde morreram 821 pessoas a cada 24 horas nos últimos sete dias.

Vinte e quatro Estados e o Distrito Federal mantêm a taxa de ocupação de leitos de UTI destinados a pacientes com covid-19 acima de 80%, mostra um boletim do Observatório Covid-19 da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) divulgado nesta terça-feira, 30. Entre esses Estados, dezessete e o DF possuem taxa acima dos 90%, indicando a continuidade da pressão causada pela doença sobre o sistema de saúde nacional.

O número de novos casos da doença confirmados nas últimas 24 horas ficou em 89.200. No total, o País soma 12.753.258 diagnósticos confirmados da doença. Segundo o Ministério da Saúde, o Brasil tem 11.169.937 recuperados e 1.257.295 pessoas em acompanhamento médico.

Com informações do Estadão Conteúdo.

Veja também:

'Na pandemia, o governo federal errou muito', diz Kassab
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade