6 eventos ao vivo

Governo poderá negociar venda da Embraer com outra empresa

Boeing anunciou no sábado que desistiu da compra da divisão de aviação comercial da brasileira

27 abr 2020
11h25
atualizado às 11h32
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

BRASÍLIA - O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira, 27, que o governo pode negociar a venda da Embraer para outra empresa, depois que a americana Boeing anunciou no fim de semana que desistiu da compra da divisão de aviação comercial da brasileira.

Coletiva do Presidente Jair Bolsonaro apos pedido de demissao do Ex-Ministro da Justica Sergio Moro
Coletiva do Presidente Jair Bolsonaro apos pedido de demissao do Ex-Ministro da Justica Sergio Moro
Foto: CLÁUDIO REIS/FRAMEPHOTO / Estadão Conteúdo

Bolsonaro destacou que a decisão cabe a ele, já que o governo federal tem a chamada golden share, que dá ao governo poder de veto em decisões estratégicas na empresa.

"Estamos avaliando, tenho o golden share, é minha, eu assino, tá? Se o negócio realmente for desfeito, talvez recomece uma nova negociação com outra empresa", disse ao sair do Palácio da Alvorada ao lado do ministro da Economia, Paulo Guedes.

No sábado, 25, a Boeing anunciou que encerrou as negociação para comprar a divisão de aviação comercial da Embraer. As empresas haviam anunciado o acordo de US$ 4,2 bilhões em julho de 2018 e o fim das conversas deixa a empresa brasileira em situação delicada. A desistência acontecem em meio à paralisação do setor aéreo em decorrência da pandemia da covid-19.

A fabricante brasileira de aeronaves fez uma teleconferência com investidores nesta segunda e anunciou, em fato relevante enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), que deu início aos procedimentos arbitrais sobre a queda do acordo.

Caso decidam judicializar o fim da negociação, o litígio entre as empresas terá como palco a Justiça dos Estados Unidos, no distrito sul de Nova York, conforme as partes definiram no memorando de entendimentos.

Veja também:

Os navios gigantescos que a pandemia mandou para o desmanche
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade