PUBLICIDADE

Primeiras ferramentas podem ter 3,3 milhões de anos, diz estudo

20 mai 2015 15h41
ver comentários
Publicidade

As primeiras ferramentas existentes no mundo podem ser muito anteriores ao que se achava até agora: foram descobertas no Quênia diversos objetos de pedra que datam de 3,3 milhões de anos, segundo um estudo publicado nesta quarta-feira pela revista científica britânica "Nature".

Os objetos descritos no trabalho antecipam consideravelmente as origens conhecidas do gênero "Homo", que se distingue por fabricar ferramentas, entre outras características, e que inclui os humanos atais, embora falte determinar que espécies de hominídeos os produziram.

A existência de utensílios de pedra associadas ao gênero "Homo" tinha sido datada em 2,6 milhões de anos a partir de descobertas feitas na Etiópia. Lá, foram encontrados instrumentos de pedra junto a partes de fósseis de um dos mais antigos exemplares do gênero "Homo", o "Homo habilis", pertencente à cultura denominada olduvaiense.

A principal autora do estudo publicado hoje, Sonia Harmand, do West Turkana Archaeological Project, mostra que os objetos desenterrados na jazida Lomekwi 3 perto do Lago Turkana, no Quênia, são anteriores as ferramentas olduvaiense em mais de 700 mil anos. A coleção inclui bigornas, martelos de pedra e cantos do mesmo material empregados para cortar e afiar.

O trabalho mostra que as peças recém-descobertas são mais antigas do que as ferramentas da cultura olduvaiense e, assim como que os hominídeos da zona de Lomekwi, tinham uma poderosa aderência manual e bom controle da motilidade, dando mostras de capacidades cognitivas de parentes próximos do ser humano. Além disso, a forma das ferramentas achadas no Quênia indica que foram usadas com toda a força possível para amassar objetos e fabricar lâminas afiadas, conforme o relatório.

EFE   
Publicidade
Publicidade