PUBLICIDADE

Política

STF rejeita recurso e mantém decisão que obriga Deltan a indenizar Lula por PowerPoint

A indenização por dano moral foi determinada, em 2022, pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ)

22 abr 2024 - 19h35
(atualizado às 22h15)
Compartilhar
Exibir comentários
Então procurador da Lava Jato, Deltan fez um PowerPoint para sustentar acusações contra Lula
Então procurador da Lava Jato, Deltan fez um PowerPoint para sustentar acusações contra Lula
Foto: Geraldo Bubniak / Estadão

A ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF), rejeitou nesta segunda-feira, 22, um recurso que tentava anular uma decisão que condenou o deputado federal cassado Deltan Dallagnol (Novo-PR). O caso se refere a uma atuação ainda como procurador da República no Paraná, no qual foi condenado a  pagar R$ 75 mil em indenização por danos morais ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva

A ministra considerou que os argumentos trazidos no recurso, sobre suposta ofensa à Constituição na condenação, não foram comprovados.

"A alegada contrariedade à Constituição da República, se tivesse ocorrido, seria indireta, a inviabilizar o processamento do recurso extraordinário”, afirmou a ministra, segundo a CNN Brasil. 

O caso ocorreu em setembro de 2016 durante coletiva organizada pela força-tarefa da Operação Lava Jato em Curitiba. Na época, Deltan Dallagnol, então coordenador do grupo, mostrou apresentação em PowerPoint para ilustrar a denúncia oferecida contra Lula pelo caso do tríplex do Guarujá.

O nome do petista aparecia no centro da apresentação, ligado a acusações e outros detalhes da denúncia.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade