0

Senador se diz surpreso com "passividade" de general Heleno

Na segunda-feira (1º), ministro do GSI sofreu ataque nas redes sociais de Carlos Bolsonaro, um dos filhos do presidente

2 jul 2019
11h52
atualizado às 12h21
  • separator
  • 0
  • comentários

O presidente da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado, Omar Aziz (PSD-AM), externou nesta terça-feira, 2, solidariedade ao general Augusto Heleno, chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI). Heleno sofreu na segunda-feira, dia 1º, um ataque nas redes sociais de Carlos Bolsonaro, um dos filhos do presidente Jair Bolsonaro.

Ministro do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno, durante entrevista coletiva em Brasília
30/04/2019 REUTERS/Adriano Machado
Ministro do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno, durante entrevista coletiva em Brasília 30/04/2019 REUTERS/Adriano Machado
Foto: Reuters

"Quero me solidarizar com o general Heleno", disse o senador, lembrando que Heleno foi comandante militar na região da Amazônia. "Eu não me permitiria ser atacado como ele foi ontem. Estou desconhecendo o general", acrescentou Aziz, que é senador justamente pelo Estado do Amazonas. O parlamentar disse ainda que está surpreso com a "passividade" de Heleno no governo de Jair Bolsonaro.

Nesta segunda, o vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ) usou suas redes sociais para atacar mais um general do governo Bolsonaro. Depois de Hamilton Mourão e Santos Cruz, o alvo da vez foi Augusto Heleno. Sem citar o nome do ministro, Carlos levantou suspeitas sobre a conduta do GSI no episódio que levou à prisão o segundo-sargento da Aeronáutica Manoel Silva Rodrigues, flagrado na Espanha com 39 kg de cocaína em voo da Força Aérea Brasileira (FAB).

O fato marca mais um capítulo dos ataques da ala ideológica contra a ala militar do governo. O comentário de Carlos foi feito no Instagram.

Veja também:

 

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade