2 eventos ao vivo

Rio: vejo Cesar Maia como qualquer outro vereador, diz Eduardo Paes

11 out 2012
15h07
atualizado às 16h13

O prefeito reeleito do

Rio de Janeiro

,

Eduardo Paes

(

PMDB

), revelou em entrevista exclusiva concedida ao

Terra

nesta quinta-feira que o vereador eleito e ex-prefeito Cesar Maia (

DEM

) será tratado como qualquer outro parlamentar da cidade. "Eu Vejo o Cesar Maia, como qualquer outro vereador", afirmou o prefeito.

Confira quanto ganham os prefeitos e vereadores nas capitais brasileiras

Perguntado pelo repórter se Maia, seu antecessor na prefeitura, será mais "ferrenho" que os outros vereadores, Paes disse: " Tenho certeza que ele vai cumprir com o papel dele, fazer oposição, mas naquilo que for para a cidade vai acompanhar o governo. Eu não tenho nenhum tipo de preocupação com isso". "Eu tive vereadores ferrenhos e isso não criou nenhum tipo de dificuldades", completou.

Paes também fez um parâmetro de sua eleição atual com a eleição de 2008, quando foi eleito prefeito do Rio pela primeira vez. "Em 2008, quando fui eleito pela primeira vez, a eleição foi muito dividida. A cidade ficou muito dividida. A minha maior alegria e poder dizer que ganhamos em todas as zonas eleitorais, 97 zonas da cidade, tirando uma", disse.

Sobre as alianças forjadas em sua candidatura, com 19 partidos, e se isso impossibilitaria sua governabilidade, o prefeito foi enfático e lembro que já contava com 17 legendas antes do pleito. "É um governo que já governa com 17 partidos. Eu nunca misturei o fato de fazer aliança política com perda de governabilidade. Eu nunca aceitei que no meu governo não tivesse gente preparada, competente".


"Não dá pra fazer omelete sem quebrar os ovos"

O prefeito

Eduardo Paes

ainda falou sobre o excesso de obras na cidade e sobre a paciência que cidadão carioca deve ter com elas e citou uma velha expressão para pedir calma à população, "não dá pra fazer omelete sem quebrar os ovos".

"A cidade está vendo acontecer coisas que há muito tempo não acontecia. A gente esperava acontecer e ninguém fazia", disse Paes, cutucando seus antecessores.

Paes ainda revelou sobre a preferência de seu governo do BRT no lugar do metrô. "A gente fez a opção por um transporte, que é o BRT, que custa muito mais barato e se permite chegar e melhora muito a vida das pessoas. Eu também sou a favor de metrô, de trem voador, de 'mega-leve cobra' e essas coisas todas que prometeram por aí. O problema é que ninguém faz. Nem faziam com o metrô, nem faziam o BRT", afirmou. "A história do Rio é a cada quatro anos uma estação nova. A população de Santa Cruz, de Guaratiba e Sepetiba não pode esperar até 2060 para ter um transporte de alta capacidade".

Eduardo Paes ainda afirmou que a derrubada do Elevado da Perimetral "é um processo que não tem volta". E lembrou que as obras do elevado são da modalidade público-privada (PPP). "A prefeitura não gasta um dinheiro do dinheiro público para derrubar a Perimetral. É tudo feito com recursos privados", explicou.

Fonte: Terra
publicidade