PUBLICIDADE

Política

Presidente do Solidariedade está foragido após virar alvo de operação da PF

Eurípedes Júnior é um dos principais alvos de investigação e está não foi localizado pelos agentes

12 jun 2024 - 11h05
(atualizado às 11h27)
Compartilhar
Exibir comentários
Eurípedes Júnior, presidente do Solidariedade
Eurípedes Júnior, presidente do Solidariedade
Foto: Divulgação: Solidariedade

A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta quarta-feira, 12, a Operação Fundo no Poço, com o objetivo de investigar suspeitas de desvio de recursos públicos dos fundos partidário e eleitoral durante as eleições de 2022. Entre os investigados na ação está o presidente do Solidariedade, Eurípedes Júnior, alvo de mandado de prisão, porém ele ainda não foi localizado pelas autoridades.

Eurípedes Júnior, ex-presidente do PROS e atual presidente do Solidariedade, é o principal alvo da operação. Na época dos fatos investigados, ele liderava o PROS, partido que se fundiu com o Solidariedade devido ao desempenho eleitoral.

De acordo com informações da PF, Eurípedes teria ciência do mandado de prisão, mas está em lugar incerto, sendo assim, já é considerado foragido. As acusações contra ele incluem organização criminosa, lavagem de dinheiro, furto qualificado, apropriação indébita, falsidade ideológica e desvio de recursos destinados ao financiamento eleitoral.

Além Eurípedes, outros ex-dirigentes e ex-candidatos do partido nas eleições de 2022 estão na lista dos mandados de prisão, incluindo Cintia Lourenço da Silva, primeira tesoureira, e Alessandro, conhecido como Sandro do PROS, que foi candidato a deputado federal.

A PF está cumprindo 7 mandados de prisão preventiva e 45 mandados de busca e apreensão em dois estados (Goiás e São Paulo) e no Distrito Federal. Além disso, houve o bloqueio de R$ 36 milhões e o sequestro judicial de 33 imóveis, medidas deferidas pela Justiça Eleitoral do Distrito Federal.

Veja lista de alvos da operação

  • Eurípedes Gomes Júnior, atual presidente nacional do Solidariedade. (foragido)
  • Cintia Lourenço da Silva, primeira tesoureira do Solidariedade. (presa)
  • Alessandro, o Sandro do PROS, que foi candidato a deputado federal (preso)
  • Berinaldo da Ponte, ex-deputado distrital (busca e apreensão, sem prisão)
Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade