PUBLICIDADE

Partido Novo decide fazer oposição ao governo Bolsonaro

Mudança de posicionamento ocorre após dois anos de apoio a pautas governistas no Congresso e campanha anti-PT no 2º turno de 2018

9 mar 2021 16h51
| atualizado às 16h59
ver comentários
Publicidade

BRASÍLIA - Após defender pautas governistas no Congresso nos últimos dois anos, o partido Novo decidiu fazer oposição ao presidente Jair Bolsonaro. A mudança foi aprovada em recente reunião do partido e incorporada a seu programa. Com a nova diretriz, integrantes do Novo agora passaram a defender o impeachment do presidente.

No segundo turno das eleições de 2018, o partido se declarou-se formalmente neutro na disputa, mas o então candidato e presidente da sigla, João Amôedo, fez oposição ao PT e depois admitiu ter votado em Bolsonaro.

A decisão do Novo diz que a legenda agora se posiciona como oposição ao governo federal. "Orientação esta que norteará desde já tanto nossas posições institucionais quanto nossas candidaturas para 2022", afirma um trecho do documento.

O candidato do Partido Novo à Presidência, João Dionísio Amoêdo
O candidato do Partido Novo à Presidência, João Dionísio Amoêdo
Foto: Rodrigo Félix Leal / Futura Press

Apesar da oposição ao governo, o Novo repudiou a anulação das condenações do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). O líder do Novo na Câmara, deputado Vinícius Poit (SP), disse ao Estadão/Broadcast que a bancada do partido permanecerá formalmente independente.

"Não vamos nos associar a qualquer legenda por oposição pura e simples. Temos nossos valores. Está claro que somos um partido que trabalha pela liberdade, ao contrário de outros partidos que defendem a benção do Estado para tudo", argumentou Poit. "Vamos nos opor ao governo como já vínhamos fazendo, quando não concordarmos com o que é proposto. Porém, votaremos a favor das pautas que acreditamos importantes para o País, ainda que isso signifique votar com o governo", completou.

No Twitter, a vereadora Cris Monteiro, da bancada do Novo na Câmara Municipal de São Paulo, chegou a pedir o impeachment de Bolsonaro ao anunciar as novas diretrizes. "Somos OPOSIÇÃO ao Governo Bolsonaro! #ImpeachmentJa", escreveu ela.

Para a definição do novo posicionamento, o Novo - partido fundado por empresários - cita o abandono de políticas anticorrupção, o encerramento da Lava Jato, a atuação do ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e a conduta de Bolsonaro na pandemia de covid-19, entre outros pontos.

 

Estadão
Publicidade
Publicidade