0

Ciro volta a atacar Holiday: "Capitão do mato nazista"

25 jun 2019
12h40
atualizado às 13h05
  • separator
  • 0
  • comentários

O candidato derrotado à Presidência na eleição de 2018 Ciro Gomes (PDT) disse nesta terça-feira, 25, em entrevista ao programa Morning Show, da rádio Jovem Pan de São Paulo, acreditar que o presidente Jair Bolsonaro não vai terminar o mandato. O pedetista ressaltou, no entanto, que a afirmação é "puro palpite" da parte dele.

Ciro Gomes
Ciro Gomes
Foto: Renato S. Cerqueira / Futura Press

Ciro ponderou que o PDT e ele trabalham contra a ideia de impeachment de Bolsonaro. "Quem falar 'fora Bolsonaro' não conta comigo", afirmou.

Para o pedetista, esta eventual queda de Bolsonaro viria por causa da situação econômica do País. "Bolsonaro não foi o responsável pelo descalabro, mas ele tem de consertar. Ele não tem rumo", disse. "O ano de 2019 está perdido", opinou.

Segundo Ciro, a saída da crise passaria pela diminuição dos juros e pelo aumento da capacidade de investimento pela retomada de obras de infraestrutura paralisadas.

A participação do pedetista no programa foi bastante comentada nas redes sociais, alavancando a hashtag #CiroNoMorning para a primeira posição entre os dez principais assuntos comentados no Twitter Brasil nesta manhã.

Os internautas comentam, principalmente, a subida no tom do debate ao final da entrevista, quando o apresentador Caio Copolla perguntou ao ex-ministro sobre o processo que o vereador paulistano Fernando Holiday (DEM) moveu contra ele por tê-lo chamado de "capitão do mato" no ano passado.

Ciro manteve a afirmação e criticou ainda o projeto de lei de para que mulheres grávidas sejam encaminhadas à internação psiquiátrica caso seja constatado que elas possuam "propensão ao abortamento ilegal".

"É um capitão do mato. Capitão do mato nazista. Simples assim. Que venham os processos", afirmou o pedetista ao fim da entrevista.

Veja também:

 

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade