PUBLICIDADE

MG: após 12 anos de PSDB, PT toma posse e promete balanço

"Precisamos tirar Minas do atraso e do isolamento”, ressaltou Pimentel alfinetando os últimos governos tucanos

1 jan 2015 12h06
| atualizado às 12h08
ver comentários
Publicidade
Veja fotos da cerimônia de posse de Fernando Pimentel em MG
Veja fotos da cerimônia de posse de Fernando Pimentel em MG
Foto: Henrique Chendes / Imprensa MG / Divulgação

O governador eleito em Minas Gerais, Fernando Pimentel, 63 anos, tomou posse na manhã desta quinta-feira, em cerimônia na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, na região Centro-Sul de Belo Horizonte. O PT assumiu a vaga depois de 12 anos do PSDB no comando do Estado e prometeu um grande balanço para saber a real situação de Minas. O petista é o primeiro governador do partido em Minas Gerais. Ele foi eleito no primeiro turno com 52,98% dos votos.

Em seu discurso de posse, Pimentel garantiu que nos primeiros 90 dias vai comandar um grande balanço em Minas Gerais para definir metas de seu governo. “Temos que estabelecer parâmetros, precisamos saber onde estamos para saber onde queremos chegar. Vamos criar um grupo executivo e criar um balanço geral em 90 dias. Vamos contar com a contribuição de empresas reconhecidas no mercado, mas não é uma auditoria, é algo maior, queremos saber onde estamos em termos econômicos, sociais, mas não vamos olhar para o passado e sim para o futuro”, destacou.

Também em seu discurso, Pimentel aproveitou para alfinetar os últimos governadores de Minas Gerais, Aécio Neves e Antônio Anastasia. “O nosso legado é de um governo participativo, com poderes para o cidadão. Precisamos tirar Minas do atraso e do isolamento”, ressaltou ao lembrar os últimos 12 anos do governo tucano no Estado.

O início do petista é cercado por preocupação no campo econômico e a situação financeira de Minas Gerais. Apesar da apreensão, Pimentel acredita que 2015 será um ano promissor. O governador apontou ainda a criação de conselhos regionais – para maior participação da população – como meta principal.

“Sabemos que vai ser um ano de ajustes necessários para o Estado e para o País, mas um ano promissor. Nós estamos muito animados, nós vamos trabalhar intensamente para que, no fim de 2015, a gente comemore um ano ganho e não um ano perdido”, pontuou.

A cerimônia marcada para às 09h (de Brasília), iniciou com 30 minutos por causa do atraso do governador eleito. Ao chegar à Assembleia Legislativa, Fernando Pimentel conversou rapidamente com a imprensa e seguiu para a solenidade. O Hino Nacional foi cantado pelo músico mineiro, Flávio Renegado, artista da periferia de Belo Horizonte, que trabalhou ativamente nas campanhas de Pimentel e Dilma.

Na sequência, foi exibido ao público um vídeo da história de Pimentel na política desde os tempos de militante. Depois, o petista e seu vice, Antônio Andrade, entregaram suas declarações de bens e assinaram o termo de posse.

Pimentel seguiu para a Praça da Liberdade, também na região centro-sul de Belo Horizonte, e no Palácio da Liberdade, sede do governo mineiro até 2010, e recebeu o Grande Colar da Inconfidência do atual governador Alberto Pinto Coelho (PP) que substituiu Antônio Anastasia que renunciou ao cargo para se candidatar ao Senado.

À tarde, Pimentel segue para Brasília onde vai acompanhar a cerimonia de posse da presidente Dilma Rousseff. 

Fonte: Especial para Terra
Publicidade
Publicidade