PUBLICIDADE

Cerimônia da Independência gera aglomeração no Alvorada

7 set 2020 12h01
| atualizado às 12h07
ver comentários
Publicidade

Criada para substituir o tradicional desfile de 7 de setembro na Esplanada dos Ministérios, cancelado devido à pandemia do novo coronavírus, a versão reduzida da cerimônia no Palácio da Alvorada gerou aglomeração. Dezenas de pessoas se juntaram diante da residência oficial da Presidência da República, na manhã desta segunda-feira, para acompanhar a chegada do presidente Jair Bolsonaro, a cerimônia do hasteamento bandeira e a apresentação da esquadrilha da fumaça. O evento durou cerca de 30 minutos.

Foto: Cláudio Reis/Framephoto / Estadão Conteúdo

Por volta das 10 horas, Bolsonaro surgiu em um automóvel conversível Rolls-Royce à cerimônia do Dia da Independência, acompanhado de um grupo de cerca de dez crianças, familiares de autoridades convidadas. Entre elas, a neta do ministro da Defesa, Fernando Azevedo.

Sem máscara, o presidente cumprimentou apoiadores que o aguardavam e tirou fotos com alguns deles em diversos momentos.

Para a cerimônia desta segunda, o governo montou uma estrutura enxuta no Alvorada para que as autoridades, a imprensa e apoiadores do presidente pudessem acompanhar o evento. Inicialmente, a Secom informou que a celebração seria restrita apenas para convidados, mas o espaço acabou aberto para dezenas de pessoas sob o argumento de que a estrutura foi criada para receber os visitantes que vão diariamente ao Palácio da Alvorada, o que gerou aglomeração.

Aos gritos de "mito", os apoiadores do presidente seguravam bandeiras do Brasil, dos Estados Unidos e de Israel. Nem todos usavam máscara de proteção.

Foto: Cláudio Reis/Framephoto / Estadão Conteúdo

De acordo com a Secom, o espaço possuía capacidade para até 800 pessoas, mas, como é possível constatar em imagens aéreas, não estava cheio. Depois, o governo afirmou que a estimativa de participantes era de cerca de mil pessoas.

Na cerimônia, estavam presentes algumas das principais autoridades de Brasília, como os presidentes do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, além de ministros de Estado e chefes das Forças Armadas. Entre os ministros, estavam Paulo Guedes (Economia), Ernesto Araújo (Relações Exteriores) e Fábio Faria (Comunicações).

Apesar de convidado, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), não participou. Segundo a assessoria de Maia, o parlamentar não pode participar porque estará no Rio no horário do evento. No ano passado, ele também não compareceu, porque estava em viagem ao Catar.

Foto: Cláudio Reis/Framephoto / Estadão Conteúdo

Ao lado de Bolsonaro, na primeira fila, estavam o vice-presidente Hamilton Mourão e os ministros da Defesa, Fernando Azevedo, e da Casa Civil, Walter Braga Netto.

Ao deixar o local, o presidente saiu caminhando com os ministros da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, e do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno, até a parte interna da residência oficial.

Estadão
Publicidade
Publicidade