PUBLICIDADE

Bolsonaro sobre Mendonça: "A Bíblia será a Constituição"

"Como ele André disse, a Bíblia será a Constituição. E, para quem é evangélico, cristão, a Constituição é a Bíblia", declarou o presidente

7 dez 2021 18h01
| atualizado às 19h12
ver comentários
Publicidade

Ao comemorar, mais uma vez, a aprovação de seu ex-ministro André Mendonça para assumir uma vaga no Supremo Tribunal Federal (STF), o presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta terça-feira, 7, que, para quem é evangélico, "a Constituição é a Bíblia".

"Como ele André disse, a Bíblia será a Constituição. E, para quem é evangélico, cristão, a Constituição é a Bíblia", declarou o presidente durante a cerimônia de assinatura de contratos do leilão do 5G, ocorrida no Palácio do Planalto.

A fala truncada vem em meio a dúvidas se Mendonça, pastor presbiteriano indicado por Bolsonaro por ser "terrivelmente evangélico", vai honrar o compromisso de atender à Constituição enquanto magistrado, levando em consideração a laicidade do Estado.

Presidente Jair Bolsonaro em Brasília
07/10/2021 REUTERS/Ueslei Marcelino
Presidente Jair Bolsonaro em Brasília 07/10/2021 REUTERS/Ueslei Marcelino
Foto: Reuters

O chefe do Executivo ainda fez um afago ao presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Humberto Martins, que participou do evento no Planalto e era o candidato favorito do senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ) para assumir a cadeira vaga na mais alta Corte do País. "Humberto Martins também é evangélico, mas coube esse momento para André Mendonça", afirmou Bolsonaro.

Outra pessoa elogiada pelo presidente ao longo do discurso na cerimônia foi Raimundo Carreiro, ministro do TCU indicado para assumir a embaixada brasileira em Portugal. "Nunca nosso governo teve problema com Carreiro, sempre foi solução. Mais um amigo, vão ter um irmão na embaixada."

Estadão
Publicidade
Publicidade