0

Bolsonaro baixa o tom e promete cumprir agenda ambiental

Presidente brasileiro falou mais uma vez na cúpula do G-20, mas adotou retórica mais moderada e menos acusatória

22 nov 2020
12h02
atualizado às 12h11
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O presidente Jair Bolsonaro afirmou há pouco a chefes de Estado e de governo durante reunião de cúpula do grupo das 20 maiores economias do mundo (G-20) que o Brasil vai assumir novos e maiores compromissos nas áreas do desenvolvimento e da sustentabilidade. "Ao mesmo tempo em que buscamos maior abertura econômica, estamos cientes de que os acordos comerciais sofrem cada vez mais influência da agenda ambiental", afirmou ele durante o encontro que ocorre neste fim de semana virtualmente por causa da pandemia de coronavírus.

Bolsonaro baixa o tom e promete cumprir agenda ambiental
Bolsonaro baixa o tom e promete cumprir agenda ambiental
Foto: Twitter/Reprodução / Estadão Conteúdo

O mundo tem olhado para a agenda ambiental brasileira por causa das polêmicas em torno da administração das florestas tropicais, em especial da Amazônia. Alguns investidores internacionais já alertaram o Palácio do Planalto sobre a necessidade de ampliar a proteção ambiental feita no País sob o custo de tirarem seus recursos do território nacional. Algumas cadeias varejistas gigantes, principalmente da Europa, também têm condicionado a continuidade das compras de produtos domésticos a certificações de origem das matérias-primas.

A discussão do G-20 sobre sustentabilidade ocorre no evento paralelo organizado pela presidência da Arábia Saudita "Salvaguardando o planeta: a abordagem CCE", sigla em inglês para economia circular do carbono. O encontro é fechado à imprensa, mas sete líderes do grupo gravaram depoimentos sobre a área que já foram divulgados pelo G20.

"O Brasil é um país resiliente. Queremos um futuro de desenvolvimento sustentável e repleto de oportunidades para a nossa população", disse Bolsonaro. Ele afirmou que seu governo tem promovido a abertura da economia, com vistas a uma maior integração do Brasil aos fluxos de comércio e investimento mundiais. Para o presidente, são demonstrações do empenho os acordos comerciais negociados pelo Mercosul com a União Europeia e a Associação Europeia de Livre Comércio, a EFTA.

Bolsonaro também mencionou o início das tratativas com a Coreia do Sul e com o Canadá e os acordos firmados entre o Brasil e Estados Unidos sobre facilitação do comércio, boas práticas regulatórias e combate à corrupção. "Estamos construindo um País aberto para o mundo, disposto, não apenas a buscar novos acordos comerciais, mas também a assumir novos e maiores compromissos nas áreas do desenvolvimento e da sustentabilidade."

Veja também:

Barroso vê 'motivação política' em ataques contra TSE
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade