PUBLICIDADE

Bolsonaro admite que as pessoas viviam melhor na época de Lula

O Presidente da República atribuiu a piora da qualidade de vida da população as consequências da pandemia e do isolamento social

17 mai 2022 10h52
| atualizado às 11h10
ver comentários
Publicidade
Bolsonaro reconhece que brasileiros viviam melhor com Lula:

O presidente Jair Bolsonaro admitiu nesta segunda-feira (16), em conversa com apoiadores na entrada do Palácio da Alvorada, em Brasília, que as pessoas viviam melhor nos mandatos do ex-presidente Lula. 

Bolsonaro afirmou que seu governo foi comprometido, em comparação com a gestão petista, pelas medidas de isolamento social para combate a pandemia e a guerra na Ucrânia. "No tempo dele [Lula], o povo vivia um pouco melhor do que hoje'. É lógico que vivia, concordo! Temos um pós-pandemia, do 'fique em casa', economia a gente vê depois, uma guerra, entre outros problemas", afirmou

No entanto, o atual presidente acusou, antes da afirmação, as gestões de Lula e Dilma Rousseff de corrupção e completou que a vida das pessoas poderia ser bem melhor se não tivessem ocorrido desvios de dinheiro público. 

Bolsonaro admite que as pessoas viviam melhor na época de Lula
Bolsonaro admite que as pessoas viviam melhor na época de Lula
Foto: Foto: Clauber Cleber Caetano/PR

As declarações de Bolsonaro vem no momento que a política econômica é pressionada pela alta da inflação. O IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), índice que mede a variação de preços, registrou alta de 1,06% no mês de abril, o maior para o mês desde 1996.

Embora sem citar o petista nominalmente, Bolsonaro mostrou acreditar que o eleitor faz comparações entre passado e presente na hora de escolher seu candidato. "Uma parte da população não sabe ver diferença. Olha na ponta da linha como está o preço na gôndola do supermercado e vota de acordo com o que está vendo, achando que vai voltar o diesel a R$ 3, a lata de óleo a R$ 5", declarou o presidente, pré-candidato à reeleição.

Com informações do Estadão Conteúdo

Fonte: Redação Terra
Publicidade
Publicidade