PUBLICIDADE

SP: Justiça nega pedido de prisão de padrasto e mãe de garoto desaparecido

7 nov 2013 21h33
| atualizado às 21h35
ver comentários
Publicidade

A Justiça de Ribeirão Preto negou na tarde desta quinta-feira o pedido de prisão temporária da mãe e do padrasto do menino Joaquim Ponte Marques, 3 anos - Natália Mingoni Ponte, 29 anos, e Guilherme Raymo Longo, 28 anos. O pedido foi feito pela Polícia Civil na terça-feira e endossado pelo Ministério Público paulista (MP-SP). As informações são do Jornal da EPTV.

Segundo a juíza Isabel Cristina Alonso Bezerra dos Santos, da 2ª Vara do Júri e Execuções Criminais, “a decisão judicial não pode estar atrelada ao clamor social”. Ela afirmou também em sua decisão que o casal está colaborando com as investigações, e que “não há risco concreto e real de que eles possam fugir ou destruir provas".

Joaquim é diabético e vivia com a mãe, o padrasto e o irmão Vitor Hugo, de apenas alguns meses. Segundo uma pessoa próxima à família, que não quis se identificar, a doença do menino foi descoberta recentemente e ele havia ficado 20 dias internado em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI). 

No boletim do desaparecimento registrado no início da tarde de ontem na Polícia Civil, a mãe relatou que acordou por volta das 7h e foi até o quarto da criança, mas não a encontrou. Em seguida, procurou pelos demais cômodos e na vizinhança, também sem sucesso. O garoto vestia uma calça de pijama com bichinhos quando foi visto pela última vez. As janelas da casa possuem grades e não havia sinais de arrombamento. 

Fonte: Terra
Publicidade
Publicidade