0

Doze ativistas presos antes de protesto são soltos no RJ

17 jul 2014
08h13
atualizado às 08h23
  • separator
  • 0
  • comentários

Doze dos 19 ativistas detidos em uma operação da Polícia Civil no último sábado - véspera da final da Copa do Mundo - foram soltos na madrugada desta quinta-feira. Eles deixaram o Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, na zona oeste do Rio de Janeiro, após uma decisão judicial expedida ontem. Segundo a polícia, o grupo é suspeito de planejar manifestações violentas no dia do encerramento do mundial.

Cinco ativistas seguem presos, incluindo Elisa de Quadros Pinto Sanzi, a Sininho, que foi presa em Porto Alegre e encaminhada para o Rio de Janeiro. Sininho ficou famosa por sua atuação nos protestos que tiveram início em 2013. Começou a ser investigada após a prisão do jovem Fabio Raposo, acusado pela morte do cinegrafista da Rede Bandeirantes, Santiago Ilídio Andrade, durante um protesto no Rio de Janeiro.

Dois adolescentes que haviam sido detidos também tiveram a liberdade concedida na tarde de ontem, mas não há confirmação da soltura deles.

A prisão dos ativistas recebeu críticas da sociedade civil. A seccional carioca da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-RJ) e o Instituto de Defesa dos Direitos Humanos repudiara a prisão com base na argumentação do possível dano futuro dos manifestantes. Entre os detidos está uma professora da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj), que, em nota oficial assinada pelo reitor, Ricardo Vieralves, também questionou as prisões.

Ativistas libertados:
Emerson Raphael Oliveira da Fonseca
Rafael Rêgo Barros Caruso
Filipe Proença de Carvalho Moraes
Felipe Frieb de Carvalho
Pedro Brandão Maia
Bruno de Souza Vieira Machado
Gabriel da Silva Marinho
Gerusa Lopes Diniz
Karlayne Moraes da Silva Pinheiro
Eloysa Samy Santiago
Rebeca Martins de Souza
Joseane Maria Araújo de Freitas

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade