PUBLICIDADE

Polícia

Adolescente é suspeita de matar filha após dar à luz e jogá-la em saco de lixo

Recém-nascida teve o pescoço cortado com um faca; além da adolescente apreendida, casal suspeito de auxiliar no crime foi preso pela polícia

7 fev 2023 - 12h19
(atualizado às 12h24)
Compartilhar
Exibir comentários
Adolescente é suspeita de matar filha e descartar em saco de lixo após dar à luz
Adolescente é suspeita de matar filha e descartar em saco de lixo após dar à luz
Foto: Divulgação/Polícia Civil

Um adolescente de 14 anos é suspeita de matar a própria filha recém-nascida logo após dar à luz em casa, segundo informado pela Polícia Civil de Goiás (PCGO) ao Terra. O crime ocorreu na madrugada deste domingo, 5, em Porangatu e é investigado pelo Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) da cidade. 

Segundo a polícia, a menina teria afirmado que conseguiu esconder a gravidez de todos os familiares e fez o parto sozinha, no banheiro de sua casa. No entanto, após o início das investigações da morte do recém-nascido, a equipe da PCGO prendeu em flagrante um casal suspeito de auxiliar no crime.

Após realizar o parto, as investigações apontam que, com uma faca, a adolescente, sob influência de estado puerperal e do casal, cortou o pescoço da criança e, em seguida, a colocou no saco de lixo.

De acordo com o apurado até o momento, a menor de 14 anos teve relações sexuais com o companheiro de sua prima, acarretando na gravidez. Durante a gestação, foram várias as tentativas de interrupção por meio de medicamentos abortivos fornecidos pela sua prima e por seu companheiro, pai da criança. Porém, nenhuma das tentativas deu certo.

Após o parto, a mãe perdeu muito sangue e foi levada ao hospital. No local, a equipe de saúde constatou um parto recente e perguntou pela criança. Um familiar que acompanhava menina, por conta própria, foi à residência e encontrou a recém-nascida dentro de uma sacola, levando-a para o hospital. Em seguida, a equipe da Polícia Civil foi acionada e iniciou as investigações. Também foi realizada perícia no local.  

A adolescente recebeu os devidos cuidados médicos e depois foi apreendida, permanecendo à disposição do juízo da infância e juventude de Porangatu, enquanto o casal - prima da menor e companheiro dela - foi encaminhado para a Unidade Prisional, onde aguardarão o desfecho da investigação, já que foram apreendidos celulares que auxiliarão na apuração do caso. 

Segundo a Polícia Civil, os suspeitos foram autuados por ato infracional análogo a homicídio e crime de homicídio triplamente qualificado, respectivamente.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade