PUBLICIDADE

Em Via Crucis, papa Francisco compara injustiças sociais à cruz de Cristo

26 jul 2013 19h37
| atualizado às 22h47
ver comentários
Publicidade
Com artistas, JMJ apresenta versão contemporânea da Via Sacra:

Mantendo a tradição de fazer pronunciamentos com apelo sócio-político, o papa Francisco aproveitou sua fala após a apresentação da Via Crucis para comparar problemas sociais ao sacrifício de Jesus Cristo. No mesmo paralelo, o Pontífice apresentou uma mensagem de consolo e um apelo por misericórdia.

Papa desembarca do papamóvel em sua chegada ao altar montado em Copacabana
Papa desembarca do papamóvel em sua chegada ao altar montado em Copacabana
Foto: Mauro Pimentel / Terra

"Com a Cruz, Jesus se une ao silêncio das vítimas da violência, que já não podem clamar, sobretudo os inocentes e indefesos; nela Jesus se une às famílias que passam por dificuldades, que choram a perda de seus filhos", afirmou o líder religioso. O Papa elencou ainda problemas como a fome, ao racismo e a intolerância religiosa.

A exemplo de sua mensagem na comunidade de Varginha, no complexo de Manguinhos, o Papa também falou sobre corrupção. "Nela (na Cruz), Jesus se une a tantos jovens que perderam a confiança nas instituições políticas, por verem egoísmo e corrupção, ou que perderam a fé na Igreja, e até mesmo em Deus, pela incoerência de cristãos e de ministros do Evangelho", disse.

Papa é recebido com flores por Dilma; veja chegada:

O contato com assuntos sociais e políticos faz parte do ministério de Jorge Mario Bergoglio muito antes de ter sido designado Papa. Enquanto arcebispo de Buenos Aires, ele protagonizou momentos de tensão com a presidente da Argentina, Cristina Kirchner, quando o parlamento do país aprovou o casamento gay. Dois anos depois, ele também questionou a aprovação da lei de identidade de gênero que autoriza travestis e transexuais a registrar dados com o sexo escolhido, iniciativa apoiada pelo governo.

De volta à aplicação religiosa da cruz do calvário, o Papa transmitiu uma mensagem aos fiéis de que "não há cruz, pequena ou grande, da nossa vida que o Senhor não venha compartilhar conosco". O Pontífice também fez um apelo à solidariedade dos peregrinos para com o próximo.

"(A cruz de Cristo) ensina-nos, pois, a olhar sempre para o outro com misericórdia e amor, sobretudo quem sofre, quem tem necessidade de ajuda, quem espera uma palavra, um gesto", afirmou o líder religioso, exortando os fiéis a "estender a mão" aos mais necessitados.

O pronunciamento do papa Francisco ocorreu após a apresentação da Via Crucis que ocorreu ao longo da orla da praia de Copacabana, na zona sul do Rio. Em uma montagem moderna, a apresentação contou com apresentações de dança contemporânea, orquestra e atuação de atores famosos como Eriberto Leão e Cássia Kiss.

Papa Francisco no Brasil
A Jornada Mundial da Juventude (JMJ) 2013 ocorre entre os dias 23 e 28 de julho, no Rio de Janeiro. O evento, realizado a cada dois ou três anos, promove um encontro internacional de jovens católicos com o Papa. A última edição da JMJ ocorreu em 2011, em Madri, na Espanha, e reuniu cerca de 2 milhões de pessoas, de mais de 190 países. O JMJ 2013 marca também a primeira grande visita internacional do papa Francisco desde sua nomeação como líder máximo da Igreja Católica, em 13 de março deste ano.

vc e o Papa
Você já conheceu o Papa Francisco no Brasil? Está na Jornada Mundial da Juventude no Rio ou esteve em Aparecida? Participe do vc repórter e envie seus relatos, fotos ou vídeos com o Papa.

Fonte: Terra
Publicidade
Publicidade