PUBLICIDADE

MP-RJ denuncia dupla por praticar atos obscenos durante JMJ

9 dez 2013 20h39
| atualizado às 20h47
ver comentários
Publicidade
<p>De acordo com a promotoria, Raissa Senra Vitral e Gilson Rodrigues Silva Junior praticaram os crimes durante cerim&ocirc;nia da JMJ na praia de Copacabana, na zona sul do Rio de Janeiro</p>
De acordo com a promotoria, Raissa Senra Vitral e Gilson Rodrigues Silva Junior praticaram os crimes durante cerimônia da JMJ na praia de Copacabana, na zona sul do Rio de Janeiro
Foto: AFP

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) denunciou nesta segunda-feira duas pessoas por prática de ato obsceno em local público e de preconceito de religião durante a Jornada Mundial da Juventude (JMJ), em julho deste ano, na capital fluminense. 

De acordo com a promotoria, Raissa Senra Vitral e Gilson Rodrigues Silva Junior praticaram os crimes durante cerimônia da JMJ na praia de Copacabana, na zona sul do Rio de Janeiro. Segundo a denúncia, Raissa esfregou uma imagem católica em suas partes íntimas e também introduziu uma cruz no ânus de Gilson.

“Os denunciados, com consciência e vontade, vilipendiaram publicamente santos e imagens católicas, quebrando-os intencionalmente para demonstrar o seu desprezo e preconceito pela religião católica”, diz a denúncia. 

Papa Francisco no Brasil
A Jornada Mundial da Juventude (JMJ) 2013 foi realizada entre os dias 23 e 28 de julho, no Rio de Janeiro. O evento, organizado a cada dois ou três anos, promove um encontro internacional de jovens católicos com o Papa. Esta edição da JMJ reuniu mais de 3 milhões de pessoas, entre elas peregrinos de 175 países. A JMJ 2013 marcou também a primeira visita internacional do papa Francisco desde sua nomeação como líder máximo da Igreja Católica, em 13 de março deste ano. A próxima edição do evento será realizada em 2016, em Cracóvia, na Polônia.

Fonte: Terra
Publicidade
Publicidade