PUBLICIDADE

Fux manda prender condenados em julgamento da Boate Kiss

Ministro derrubou habeas corpus que não permitiu prisão

14 dez 2021 19h12
| atualizado às 19h18
ver comentários
Publicidade

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, derrubou nesta terça-feira (14) o habeas corpus preventivo que impediu a prisão dos quatro condenados no caso que julgou a tragédia da Boate Kiss.

Justiça condenou os 4 acusados por tragédia na Boate Kiss
Justiça condenou os 4 acusados por tragédia na Boate Kiss
Foto: Agência Brasil/Juliano Verardi/Imprensa TJRS / Ansa - Brasil

No dia 10, o Tribunal do Júri do Foro Central de Porto Alegre condenou Elissandro Spohr, Mauro Hoffmann, Marcelo de Jesus dos Santos e Luciano Bonilha a penas de 18 a 22 anos e meio de prisão em regime fechado por homicídio simples com dolo eventual.

No entanto, Spohr havia conseguido um habeas corpus preventivo dado pelo Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul e, para evitar outros problemas jurídicos, o juiz Orlando Faccini Neto estendeu o benefício a todos. Com isso, ninguém foi preso no pós-julgamento.

Nesta terça-feira, porém, Fux atendeu a um pedido do Ministério Público do RS que questionou a decisão do TJ gaúcho. Com isso, determinou a prisão dos quatro réus.

A tragédia da Boate Kiss matou 242 pessoas, a maioria jovens entre 17 e 30 anos, em 27 de janeiro de 2013. Além disso, deixou 636 feridos - alguns com lesões graves e permanentes. A maior parte das vítimas morreu por sufocamento por inalar gases tóxicos provocados pela queima do forro de espuma inadequado usado no teto do estabelecimento.

O incêndio em Santa Maria é considerado o segundo maior desastre do tipo no Brasil, ficando atrás apenas da tragédia no Gran Circo Americano no Rio de Janeiro, em 1961, quando houve 503 mortes. .
   

Ansa - Brasil   
Publicidade
Publicidade