PUBLICIDADE

Família briga por R$ 100 milhões da herança de lavrador que ganhou na Mega-Sena

Renê Senna foi assassinado a tiros em 2007, em Rio Bonito, Região Metropolitana do Rio de Janeiro

24 jun 2024 - 11h14
(atualizado às 12h42)
Compartilhar
Exibir comentários
Resumo
Com quatro testamentos apresentados até aqui, briga de família de lavrador morto a tiros no RJ por herança milionária se arrasta na Justiça.
Renê Senna e a viúva Adriana
Renê Senna e a viúva Adriana
Foto: Reprodução

A família de Renê Senna, ganhador de um prêmio de R$ 52 milhões da Mega-Sena assassinado a tiros em janeiro de 2007, trava uma série de disputas judiciais pela herança  do lavrador, dezessete anos depois de sua morte.

Atualmente, a fortuna está estimada em R$ 100 milhões devido às aplicações financeiras feitas ainda em vida por Renê. Ele foi assassinado a tiros, no dia 7 de janeiro de 2007, em Rio Bonito, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro. 

Até agora, quatro testamentos foram apresentados, segundo o Globo:

  • 1º testamento - 50% da herança iria para Renata de Almeida Senna e o restante seria dividido para 12 irmãos de Renê Senna.
  • 2º testamento - Um sobrinho passa a ser incluído como herdeiro, substituindo um dos irmãos de Renê que morreu.
  • 3º testamento - Adriana Ferreira Almeida, viúva de Renê, passaria a ser beneficiária de 50% no lugar dos irmãos de Renê. 
  • 4º testamento - Revoga parte do testamento anterior que beneficiava os irmãos e coloca Renata como única herdeira.

Uma decisão judicial garantiria a Renata 50% da herança. Isso porque este terceiro testamento que a viúva Adriana Ferreira Almeida Nascimento, condenada a 20 anos de prisão após ser apontada como mandante do assassinato de Renê, havia tentado validar lhe daria direito a metade de tudo. O Superior Tribunal de Justiça (STJ), no entanto, considerou que Renê foi manipulado por Adriana, que já teria um plano para matá-lo e negou o recurso. 

Ainda de acordo com a reportagem, no último dia 4 de junho, o advogado Sebastião Mendonça, que representa oito irmãos e um sobrinho de Renê pediu à Vara Cível do Fórum de Rio Bonito a nulidade do último testamento, que havia sido apresentado pela filha do lavrador, Renata Almeida Senna.

Neste pedido de Renata, ela constaria como única herdeira de Renê e deixaria oito irmãos e o sobrinho de fora da herança.

A defesa de Renata Senna ainda não comentou o caso, segundo o Globo. A reportagem também ligou para a defesa de Adriana, mas ainda não teve retorno.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
TAGS
Publicidade
Seu Terra












Publicidade