PUBLICIDADE

Projeto pede apoio para alimentar famílias do sertão do NE

ONG Amigos do Bem quer distribuir 100 mil cestas básicas para auxiliar lares que vivem situação de vulnerabilidade

28 abr 2021 16h37
ver comentários
Publicidade

Entre os diversos impactos da pandemia no Brasil, um dos mais devastadores atinge a população em seu ponto mais vulnerável e faz com que muitas famílias voltem a enfrentar um pesadelo que, no passado, já havia sido superado: a fome.

Anúncio da campanha contra fome da ONG Amigos do Bem
Anúncio da campanha contra fome da ONG Amigos do Bem
Foto: Divulgação

Nos últimos meses de 2020, mais da metade dos lares brasileiros (55,2%) conviveram com algum grau de insegurança alimentar, segundo uma pesquisa realizada pelo Inquérito Nacional sobre Insegurança Alimentar no Contexto da Pandemia da Covid-19 no Brasil, realizado pela Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (Rede Penssan), que entrevistou pessoas de 2.180 domicílios.

Sem ajuda efetiva do governo, esse é apenas um dos índices que apontam a gravidade da situação no País, que deve retornar ao Mapa da Fome, do qual havia saído em 2014. 

Pensando em minimizar os problemas de famílias menos favorecidas, que são as mais atingidas pela desigualdade, o projeto Amigos do Bem tem dedicado suas forças para ajudar lares isolados localizados no sertão nordestino por meio de doações de alimentos.

Segundo a ONG, com o agravamento da covid-19 e a consequente crise econômica, as arrecadações para o projeto caíram pela metade nos meses de janeiro e fevereiro de 2021. “Sabemos que o momento é muito difícil para todos os brasileiros, mas contamos com a solidariedade de quem pode nos ajudar. Eles não têm para quem pedir”, afirma Alcione Albanesi, fundadora do Amigos do Bem.

A organização já realizou uma ação emergencial em 2020 para conter os efeitos da pandemia nessas famílias e agora faz um novo apelo para uma nova campanha. A ideia é distribuir 100 mil cestas básicas que devem atender mais de 500 mil pessoas, além de manter os projetos já existentes. “Retomamos nosso plano emergencial e vamos unir forças novamente para ajudar as milhares de pessoas atendidas nas regiões mais carentes do país”, enfatiza Alcione.   

Com atuação na região onde se concentra a maior parte das pessoas em situação de extrema pobreza, os esforços vão para o sertão do Nordeste, onde de acordo com o IBGE, 24,3 milhões de pessoas vivem abaixo da linha da pobreza.

Como colaborar

As doações podem ser feitas pela internet, através deste link. Com planos que possibilitam contribuições mensais e únicas, é possível enviar valores de no mínimo R$ 50 por meio de pessoa física ou empresa. As formas de pagamento podem ser por cartão de crédito, débito ou boleto bancário.

Fonte: Equipe portal
Publicidade
Publicidade