0

Polícia investiga morte de gêmeas recém-nascidas por cachorro da família na Bahia

Caso ocorrido na terça-feira, 23, está sendo tratado, inicialmente, como fatalidade

25 jun 2020
18h50
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

SALVADOR - A Polícia Civil da Bahia abriu inquérito para investigar as circunstâncias da morte de gêmeas recém-nascidas atacadas por um cachorro da família, na cidade baiana de Piripá, a 637 km de Salvador. O caso, ocorrido na terça-feira, 23, está sendo tratado, inicialmente, como fatalidade. De acordo com a delegada responsável pela investigação, Laíse Testa, uma perícia foi realizada na casa família, e os pais das bebês, Elaine e Régis Novais, serão ouvidos na delegacia do município. Ainda não há data para oitiva, já que o casal está muito abalado e sem condições de prestar depoimento.

As gêmeas foram levadas para o Hospital Municipal Maria Pedreira Barbosa, em Piripá
As gêmeas foram levadas para o Hospital Municipal Maria Pedreira Barbosa, em Piripá
Foto: Facebook/Prefeitura de Piripá / Estadão

Segundo relatos feitos ao Estadão por pessoas próximas à família que preferiram não se identificar, a mãe foi conversar com uma vizinha no portão e, quando voltou para dentro de casa, deparou-se com o cachorro, de raça não divulgada, em cima das bebês. Feridas, Anne e Analú, que tinham apenas 26 dias de vida, foram socorridas por Elaine e levadas para o Hospital Municipal Maria Pedreira Barbosa, em Piripá. De acordo com o médico plantonista, uma delas já chegou à unidade sem vida. A equipe tentou reanimar a outra criança, mas ela não resistiu aos ferimentos.

O enterro das gêmeas ocorreu na tarde de terça-feira, no cemitério Saudade Dois, no município. A cesariana das bebês, que nasceram prematuras, estaria marcada para 23 de junho, mesmo dia em que foram sepultadas, conforme relatou a família para pessoas próximas ouvidas pela reportagem.

O caso comoveu a cidade de pouco mais de dez mil habitantes. A prefeitura de Piripá divulgou nota em que manifestou pesar pelo falecimento de Anne a Analú. "Diante desta perda inestimável, expressamos condolências e nos solidarizamos com os pais Elaine e Régis, seus familiares e amigos, neste momento de profunda tristeza e dor. Que Deus conforte seus corações e dê forças para transformar toda dor desta perda irreparável em fé e esperança", disse o texto em publicação nas redes sociais.

Elaine é funcionária terceirizada do município e trabalha no atendimento ao público na prefeitura. Já o pai das crianças trabalha em um mercado na cidade.

Católica, a mãe das gêmeas também é conhecida em Piripá pelo trabalho realizado na paróquia local de Nossa Senhora Sant'Ana, onde atua como catequista. O padre Antônio dos Santos Vieira, líder da paróquia, contou que o casal está recebendo atendimento psicológico do município.

"Tenho tentado levar minha mensagem de fé, acalmar os corações, fazer orações. Eles ainda estão em choque. É uma situação muito difícil, uma coisa inexplicável", lamentou o pároco, que preferiu não dar mais informações sobre o caso, em respeito à família. Na cidade, moradores também evitam falar sobre o assunto para preservar o casal.

Apaixonados por animais

Em um perfil em uma rede social, Elaine se mostra simpatizante da prática de cavalgada e se define como "apaixonada por animais", representados por emojis de cachorro e gato. A boa convivência do casal com os animais é revelada em uma foto postada pela própria mãe no Instagram, na qual ela, ainda grávida, aparece sentada no chão acariciando dois cachorros.

O cão que provocou a morte das gêmeas estaria com a família há cinco anos e não demonstrava comportamento agressivo. Ainda não se sabe o que teria feito o cachorro atacar as crianças nem o que foi feito com o animal após o ocorrido.

Veja também:

Bolsonaro faz novo exame para detectar covid-19
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade