PUBLICIDADE

Para shoppings, 'rolezinhos' assustam clientes e prejudicam vendas

Para presidente da associação, prefeitura garante espaços públicos suficientes para jovens se manifestarem

17 jan 2014 - 22h03
(atualizado às 22h26)
Compartilhar
Exibir comentários

A Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop) afirmou nesta sexta-feira, em nota, que “é a favor das liminares concedidas aos shoppings de forma a controlar e impedir a formação de eventos denominados ‘rolezinhos’”. Segundo a associação, as decisões da Justiça são válidas porque os frequentadores desses eventos “assustam clientes e, consequentemente, prejudicam as vendas”.

A Alshop afirmou que é “favorável à criação de espaços públicos ou disponibilidade em espaços existentes para que atividades sociais e culturais possam ser realizadas de forma segura e sem prejuízo aos outros cidadãos”.

Para o presidente da associação, Nabil Sahyoun, “a prefeitura de São Paulo possui espaços públicos pouco utilizados na cidade para que esses jovens possam se manifestar de maneira pacífica”. “(Os shoppings) devem ser protegidos, pois circulam milhares de pessoas nos shoppings diariamente respeitando o direito de ir e vir da nossa população."

Paulistanos são a favor de liminares contra “rolezinhos”

De acordo com o levantamento da agência de pesquisa de mercado e inteligência Hello Research divulgado nesta sexta-feira, 68% dos entrevistados se disseram a favor de medidas judiciais que proíbem a realização desse tipo de evento em shoppings. Entre as mulheres, este número chega a 71%. 

"O shopping é da hora", diz MC que participa de "rolezinhos":

Em alguns desses encontros, a Policia Militar foi autorizada a abordar e revistar jovens que a própria PM julgasse suspeitos. Este decisão foi apoiada por 70% dos entrevistados. 

Fonte: Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade