PUBLICIDADE

MP investiga PM que disse que iria "arrebentar" aluno de escola do DF

Caso aconteceu no Centro Educacional (CED) 1, na região de Estrutural

10 mai 2022 10h31
ver comentários
Publicidade
MP investiga PM que disse que iria "arrebentar" aluno de escola do DF
MP investiga PM que disse que iria "arrebentar" aluno de escola do DF
Foto: Reprodução/TV Globo

O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) cobrou providências do governo do Distrito Federal depois de um policial militar ameaçar um aluno dentro do Centro Educacional (CED) 1, na região de Estrutural, segundo a TV Globo. O colégio compartilha a gestão com a Polícia Militar.

O MPDFT, que investiga o caso, disse à TV que "está atento para garantir o funcionamento adequado das escolas de gestão compartilhada com a PMDF".

A Comissão de Direitos Humanos da Câmara Legislativa do DF também enviou um ofício na segunda-feira, 9, para a secretária de educação pedindo providências dentro de 30 dias. O documento indica ação truculenta por parte dos policiais. 

Conforme a TV Globo, a Secretaria de Educação informou que "casos pontuais são averiguados para adoção de providências cabíveis a cada situação" e a PMDF disse que o fato foi pontual e será apurado e que os responsáveis serão afastados. 

O que aconteceu

Na última quinta-feira, 5, os alunos do Centro Educacional 1 fizeram um protesto contra a exoneração da vice-diretora Luciana Pain e denunciaram ter sofrido ameaças de policiais após criticarem o modelo cívico-militar. 

Vídeos gravados pelos próprios estudantes e obtidos pela TV mostram militares gritando com um aluno em uma sala de aula: "Bota a mão pra trás, você. Tô falando sério. Tu não é machão? Lá em cima tu não é machão? No meio dos outros tu não é machão?", falou um dos PMs.

Quando o estudante questionou se ia apanhar, o PM respondeu: "Se precisar. Você quer ver? Vem me ameaçar... Eu te arrebento". 

Durante a gravação, um outro aluno comentou que eles são tratados como bandidos dentro do colégio. "Aqui parece que nós é um bando de bandido, não é aluno não, eles trata nós não é como aluno não, é como bandido que eles tratam nós", disse.

Fonte: Redação Terra
Publicidade
Publicidade