PUBLICIDADE

Cidades

"Culto aos ancestrais", samba é homenageado no Rio de Janeiro

O evento Trem do Samba chega a sua 28ª edição, consolidado como um patrimônio da agenda cultural carioca

2 dez 2023 - 19h49
(atualizado às 19h55)
Compartilhar
Exibir comentários
Idealizado pelo músico Marquinhos de Oswaldo Cruz, o Trem do Samba realizou neste sábado (02) a sua 28ª edição. Consolidado como um patrimônio da agenda cultural carioca, a iniciativa mobiliza amantes do samba de todas as idades, que embarcam nas composições que saem da estação Central do Brasil em direção ao bairro de Oswaldo Cruz, na zona norte do Rio de Janeiro. Os instrumentos de corda e de percussão os acompanham como passageiros ilustres e os músicos garantem a trilha sonora.

"O Trem do Samba é um restaurador de obras de arte, porque vem todo ano caminhando na memória coletiva pelos trilhos, fazendo com que as pessoas se lembrem de nossas histórias e de nossas músicas", explicou Marquinhos de Oswaldo Cruz.

Os primeiros trens sairão rumo à Oswaldo Cruz a partir das 18h04. Mas, antes do embarque e depois do desembarque, a festa acontece nos palcos com nomes como Martinho da Vila, Leci Brandão e Fabiana Cozza. O passaporte para essa viagem é um quilo de alimento não perecível e toda a arrecadação é doada a projetos sociais.

Toda essa mobilização não poderia acontecer em outra data. Em 2 de dezembro, é celebrado o Dia Nacional do Samba.

Marquinhos de Oswaldo Cruz observa que o samba é "um culto aos ancestrais" e reverencia nomes que contribuíram para perpetuar o ritmo, como Cartola, Monarco, Dona Ivone Lara, entre outros.

Foto: Perfil Brasil
Foto: Perfil Brasil
Perfil Brasil
Compartilhar
Publicidade
Publicidade