0

Brasileira e bebê foram encontrados mortos na Holanda

Patrícia de Oliveira Santos, 32 anos, já havia reclamado do comportamento do namorado holandês. Família ainda não sabe detalhes do crime. O Ministério das Relações Exteriores está acompanhando o caso

8 nov 2019
16h55
atualizado às 17h37
  • separator
  • 0
  • comentários

Uma brasileira de 32 anos foi encontrada morta dentro de uma casa na cidade de Diemen, na Holanda, junto com um recém-nascido. Patrícia de Oliveira Santos é de Fortaleza, no Ceará, mas estava na Holanda desde o fim de setembro. A ideia de Patrícia, segundo a família, era voltar ao Brasil em dezembro. Em Diemen, Patrícia morava com o namorado – cujo o nome a família diz ser "Dennis".

No dia 18 de outubro a família foi informada sobre a morte, mas, desde então, não consegue mais detalhes sobre o que de fato aconteceu com Patrícia. Além disso, no mesmo período, jornais holandeses relataram a prisão de um homem de 48 anos, identificado como Dennis van E., pela morte de uma mulher e o filho dela na mesma cidade em que Patrícia foi encontrada morta. "Não sei o sobrenome dele, mas acredito ser esse que os jornais estão divulgando", contou a irmã de Patrícia, Fabiana Oliveira dos Santos.

Família foi informada da morte de Patrícia no dia 18 de outubro
Família foi informada da morte de Patrícia no dia 18 de outubro
Foto: Arquivo pessoal/família de Patrícia/Facebook / Estadão Conteúdo

Ainda de acordo com Fabiana, o namorado da irmã vinha com regularidade para o Brasil. "Ele estavam juntos há 3 anos. Quando ele estava no Brasil, ficava cerca de 3 meses em casa. Sempre foi muito educado com minha mãe e com todos em casa", relatou. Em uma dessas visitas, Patrícia, que tem dois filhos de outro relacionamento, engravidou. "Ele mandou uma passagem para ela - que decidiu passar um período na Holanda com ele".

Fabiana, a irmã, contou que no início o contato com a irmã era quase que diário - e que tudo parecia bem. "Mas as coisas foram mudando. Ela chegou a dizer que ele estava muito ciumento, mas não relatou agressões. Acho que ele não queria mais o bebê", disse. O namorado teria inclusive sugerido um aborto. Patrícia teria avisado a irmã que não poderia mais falar todos os dias com eles - pois o namorado não gostava que ela ficasse "de conversa com os outros".

Apenas no dia 18 de outubro, ela foi informada da morte da irmã - e que o corpo dela havia sido encontrado ao lado de um bebê - ainda não se sabe se o bebê encontrado é o filho de Patrícia. A família busca mais informações e aguarda o translado do corpo.

Por e-mail, o Consulado-Geral do Brasil em Amsterdã informou que acompanha o caso e está em contato com familiares da brasileira.

O Itamaraty informa que "em atendimento ao direito à privacidade dos envolvidos, bem como à Lei de Acesso à Informação e ao decreto 7.724, não pode fornecer informações adicionais sobre o assunto."

Veja mais:

 

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade