2 eventos ao vivo

Bolsonaro rechaça que estimule "rupturas democráticas" ao defender voto impresso

12 jan 2021
18h12
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O presidente Jair Bolsonaro rechaçou nesta terça-feira afirmações de que estaria estimulando uma eventual invasão de simpatizantes à Câmara dos Deputados ao defender a aprovação de uma proposta legislativa para adotar o voto impresso no país.

Presidente Jair Bolsonaro 
12/01/2021
REUTERS/Adriano Machado
Presidente Jair Bolsonaro 12/01/2021 REUTERS/Adriano Machado
Foto: Reuters

"Estão falando que eu estou querendo invadir a Câmara... Quem invadiu foi o pessoal do PT, do MST", disse ele, citando invasão, liderada pelo então dirigente do Movimento de Libertação dos Sem-Terra (MLST) e então membro da Executiva do PT Bruno Maranhão, à Câmara em 2006.

"Quando eu falo que estou querendo evitar isso, eu sou acusado de querer estimular aí rupturas democráticas. Pelo contrário, deixo bem claro, vai continuar o voto eletrônico, apenas vai ter uma urna ao lado e vai cair o voto", emendou.

Na semana passada, Bolsonaro disse que o Brasil poderia enfrentar um cenário pior que o vivido pelos Estados Unidos após apoiadores do presidente Donald Trump invadiram o prédio do Congresso, caso o país não adote o voto impresso na eleição presidencial de 2022.

Veja também:

Doses da vacina da Covid-19 chegam ao Aeroporto de Cascavel
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade