PUBLICIDADE

Porto Alegre: Mulheres vítimas de violência doméstica poderão receber auxílio-aluguel

Medida busca romper a dependência econômica e garantir proteção às vítimas, oferecendo suporte financeiro para recomeço seguro

29 ago 2023 - 13h33
(atualizado às 14h29)
Compartilhar
Exibir comentários

Um projeto de lei em tramitação na Câmara de Vereadores de Porto Alegre propõe a concessão de auxílio-aluguel às mulheres vítimas de violência doméstica na cidade. O benefício terá o valor de um salário mínimo mensal e será concedido pelo período de um ano, com possibilidade de prorrogação. O objetivo é oferecer suporte financeiro para aquelas que não podem retornar aos seus lares devido à violência sofrida. Para ser elegível, a mulher precisa comprovar renda familiar de até dois salários mínimos e possuir medida protetiva expedida pela Lei Maria da Penha. A prioridade será dada às gestantes e às mulheres com filhos menores.

Porto Alegre: Mulheres vítimas de violência doméstica poderão receber auxílio-aluguel
Porto Alegre: Mulheres vítimas de violência doméstica poderão receber auxílio-aluguel
Foto: Imagem Ilustrativa / Freepik / Porto Alegre 24 horas

A proposta do projeto é romper com a dependência econômica que muitas vezes impede as mulheres vítimas de violência doméstica de deixarem seus agressores. Segundo a vereadora Karen Santos, autora da iniciativa, a medida protetiva por si só não é suficiente para quebrar esse ciclo de violência. O auxílio-aluguel visa fornecer um recomeço às mulheres, permitindo que elas tenham condições financeiras para custear um novo lar por um período razoável. Dessa forma, busca-se dar concretude ao afastamento da vítima do contexto de violência.

Para receber o auxílio-aluguel, além da renda familiar e da medida protetiva, as interessadas devem comprovar estar em situação de vulnerabilidade econômica, incapazes de arcar com suas despesas de moradia. Caso haja retorno ao convívio com o agressor ou cessação dos efeitos da medida protetiva, o benefício será suspenso. O projeto ainda aguarda aprovação na Câmara de Vereadores, mas já desperta expectativas positivas quanto ao apoio às mulheres em situação de violência doméstica em Porto Alegre.

Porto Alegre 24 horas
Compartilhar
Publicidade
Publicidade